E se a felicidade fosse cotada em bolsa?

Unhappy - Happy
Visto 8.411 veces

Na última edição do fórum económico de Davos, houve três conferências – sim, três – dedicadas ao fator “felicidade” como um elemento essencial para conseguir retomar o crescimento. Julia Novy-Hildsley fala sobre esta questão no blogue do Fórum Económico Mundial.

A teoria da gestão emocional dos países, das organizações, das empresas ou dos seres humanos não é propriamente uma novidade. Mas alcança um novo protagonismo quando os modelos do século XX se desmoronam, quando a recessão chegou para ficar, quando as escolas de negócios se perguntam em que momento determinaram que o fator emocional não tinha de fazer parte da formação dos profissionais que tomaram as decisões que nos levaram à crise mais profunda da era moderna.

Sugiro que ouça Shawn Achor, um investigador profundamente ligado à Universidade de Harvard que estuda o estreito vínculo entre a felicidade e o êxito. A , o fórum e portal que dá voz às mentes que inspiram o mundo (pode escolher o idioma das legendas).

Shawn Achor

Achor defende que é a felicidade que nos conduz ao êxito e não o inverso. O especialista investiga esta relação há anos. Chegou ao ponto de analisá-la em conjunto com a conta de lucros e perdas de uma empresa, com o objetivo de provar que investir na felicidade é uma forma de aumentar os benefícios. O “caso” é explicado neste artigo que publicou na Harvard Business Review, “O Dividendo da Felicidade”.

Todos concordamos que um dos ativos principais das empresas é a sua força humana. O desafio está em investir na satisfação das equipes para assegurar o talento, para manter os níveis de motivação, expectativa e criatividade elevados no meio das transformações, incertezas e dificuldades que atingem tantas organizações atualmente.

Arianna Huffington

Enquanto nos esforçamos por atingir este objetivo, deixo-lhe outra palestra da organização TED, desta vez em formato de conversa de café – mais breves, mais informais e nas quais o interveniente deve desenvolver uma única ideia. Aconselho a palestra de Arianna Huffington, uma líder com uma componente emocional muito marcada. Ser mais eficiente e apresentar as melhores ideias não depende de uma agenda muito ocupada, mas sim de ter uma mente muito liberta.

Elena Sáchez
Directora de Transformación de PRISA

Comments are closed.

MENU
Leer entrada anterior
??????????????????
Previsões para o iPad 3

Enquanto esperamos o lançamento do iPad 3, que terá lugar esta quarta-feira, mostramos-lhe já uma interessante infografia realizada pela empresa...

Cerrar