10 frutos do hardware livre

Fotolia_47076856_Subscription_XL

Heap of computer hardware

Apesar de ser muito mais desconhecido do que o software livre, o hardware livre também existe. E já há algum tempo. De facto, a origem dos projetos baseados em dispositivos de “código aberto” remonta à década de 70 do século passado, quando o movimento hippie popularizou a cultura do DIY (faça você mesmo, da expressão anglo-saxónica Do It Yourself).

Tudo começou – como não podia deixar de ser – nas garagens dos Estados Unidos, esses lugares que parecem ser o vórtice de todas e cada uma das revoluções tecnológicas. Concretamente, muitas vozes assinalavam o início do hardware livre no clube Homebrew Computer, onde vários aficionados da eletrónica partilhavam e trocavam peças, circuitos e informação relativa aos microprocessadores da época.

A primeira reunião deste clube teve lugar em março de 1975 na garagem de um dos seus fundadores, Gordon French, e os encontros se prolongaram até dezembro de 1986. Ao longo desses onze anos, o Homebrew Computer impulsionou os benefícios de partilhar designs de hardware para que outros pudessem não só modificá-los livremente, como também encontrar novas utilidades, com o propósito de devolver um produto melhorado à comunidade.

A coisa ficou um pouco estagnada nos últimos anos do século XX mas, com a chegada do século XXI, os projetos de hardware livre começaram a proliferar graças ao boom da Internet, que facilita e simplifica o acesso público a diagramas, planos e designs lógicos dos dispositivos.

Estas são algumas das iniciativas mais interessantes ligadas a este conceito e que promovem desde a criação de computadores portáteis e telefones modulares até ao fabrico de automóveis, passando pelo incentivo ao ensino da robótica na sala de aula.

.

RepRap1. RepRap Project

Projeto iniciado em 2004 por Adrian Bowyer e pelos seus colegas da Universidade de Bath, no Reino Unido, para criar uma impressora 3D capaz de se replicar a si mesma através da impressão da maioria dos seus componentes.

O dispositivo está acessível sob a licença GNU GPL, que permite a qualquer pessoa copiar, estudar, distribuir e melhorar a sua conceção e código fonte.

.

2. Arduino

Trata-se de uma placa mãe que incorpora um simples microcontrolador e um ambiente de desenvolvimento para criar aplicações para a dita placa. Os projetos que partem de Arduino englobam desde robôs até sistemas de rega automática.

Está disponível com uma licença Creative Commons, que concede liberdade de desenvolvimento, ainda que os produtos derivados devam cumprir determinadas normas, sobretudo no que concerne a própria denominação de Arduino, que acaba por funcionar como uma espécie de controle de marca.

.

Google Project Ara3. Project Ara

Este projeto surgiu a partir da iniciativa Phoneblocks, que no passado mês de outubro fez um apelo para tornar realidade um smartphone modular que possa ser construído peça a peça por cada usuário, em função das suas necessidades.

A Google apanhou o testemunho desse desafio e, agora, a sua ideia é que a comunidade de especialistas comece a criar e a partilhar esses módulos ou peças de celular a partir de uma plataforma comum, o Module Developer’s Kit (MDK), cuja versão 0.10 pode ser descida a partir daqui.

.

4. NovenaNovena

Iniciativa que promoveu recentemente o fabrico do primeiro computador portátil “de código aberto”. O resultado foi um modelo com um desempenho bastante notável, apesar de o seu design ficar aquém dos modernos ultrabooks.

.

5. Raspberry Pi raspberrypi

Computador do tamanho de um cartão de crédito que é composto por uma placa mãe sobre a qual se monta um processador, um chip gráfico e memória RAM.

Foi lançado em 2009 pela Fundação Raspberry Pi para estimular o ensino da informática em escolas de todo o mundo. Esta proposta conta com dispostos a partilhar, passo a passo, as novas características que vão encontrando para a placa.

.

6. e-puck epuck

Outro dos projetos orientados para a educação (concretamente, para o ensino da programação) é este robô móvel de código aberto. Na página de Internet desta iniciativa, estão disponíveis bibliografias, ficheiros de fabrico, exemplos e uma ampla documentação sobre o robô e o seu funcionamento.

.

7. OScar (Open Source Car) OScar1

Em desenvolvimento desde 1999, é considerada a primeira iniciativa para conceber um automóvel usando exclusivamente ferramentas de código aberto.

De momento, existe um protótipo para dois passageiros e qualquer engenheiro, designer industrial ou especialista pode participar voluntariamente através da colaboração e do intercâmbio de conhecimentos, contribuindo com inovações que se convertem em melhorias baseadas na experiência acumulada.

.

8. Uzebox uzebox

Consola de jogos de design retro com características técnicas semelhantes às da geração de 16 bits, que tem como objetivo recuperar a experiência dos primeiros video games. Em volta da página oficial do projeto, se gerou uma comunidade de programadores e aficionados que experimentam, investigam e enriquecem tanto o software disponível como o hardware, que é livre e totalmente transformável.

Cada usuário pode adquirir as peças do kit e fazer a sua própria consola, se bem que também existem empresas que vendem uma versão já montada.

.

9. Open Source Ecology

Esta rede de agricultores, engenheiros e promotores do hardware livre quer desenvolver uma nova geração de maquinaria industrial com acesso universal, com o objetivo de fomentar um progresso com o menor impacto possível sobre o meio ambiente.

.

10. Elphel elphel

Câmaras baseadas em hardware e software de código aberto que são usadas pela Google para captar imagens panorâmicas que se incluem no Google Street View, assim como pela NASA.

.

José Ángel Plaza

Equipo de Transformación de PRISA

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
kickstarter_1111
O melhor do Kickstarter (e o pior) em criatividade tecnológica

A plataforma de crowdfunding, ou “financiamento em massa”, mais famosa da Rede acaba de fazer 5 anos. Neste curto espaço...

Cerrar