A arte digital… ou o digital na arte: novos públicos

animation-animated-glitch-trippy-psychedelic-glitch-art-skate-skateboarding-what-processing-skater-datamosh-installation-arte-ollie-projection-mapping-colores-pixel-sort-arte-digitale-proyeccin

«A ubiquidade da tecnologia digital e a sua crescente invisibilidade fazem com que pareça quase natural». Charlie Gere.

Ξ Novos públicos, novas leituras

Os objetos culturais mediados por tecnologias de informação e comunicação oferecem uma grande possibilidade de acesso, manipulação e interação, em contraste com a mera contemplação. Os novos formatos permitiram o incremento da produção e, em alguma medida, a redução de custos de reprodução e transmissão. Também há maior acesso e colaboração em rede, assim como maiores possibilidades de apropriação e remistura em processos colaborativos de criação de caráter global, práticas próprias da cultura digital.

Em contrapartida, poderíamos encontrar uma arte mais efêmera em cumplicidade com usuários e usuárias com pouca disposição para a atenção por mais do que uns quantos segundos. A isto, soma-se a ameaça da obsolescência da tecnologia e dos formatos, o que se traduz em problemas de conservação, difusão e apreciação das obras com componentes ou de natureza digital.

• A arte efêmera

A denominada arte efêmera ganhou força com a arte moderna. Neste contexto, o termo efêmero aplica-se a todas as manifestações artísticas criadas para durar pouco tempo (minutos, horas, dias, semanas), ou seja, sem intenção de permanência. Ser temporal faz parte do significado da obra efêmera. Exemplos de obras artísticas efêmeras se dão tanto com materiais tangíveis como em formatos com componentes digitais. Qualquer que seja a sua forma, a arte efêmera nos pede que a apreciemos no presente, que desfrutemos da magia do instante com a consciência de que não será possível vê-la novamente.

Dada a sua natureza, existem vários eventos orientados para a exposição deste tipo de criações artísticas com o fim de dá-las a conhecer e permitir que sejam desfrutadas e documentadas. No entanto, outras obras de arte efêmeras só conseguem ser difundidas através do registro fotográfico ou de vídeo, feito tanto pelos artistas como pelas instituições que os patrocinam e que oferecem páginas de Internet para esse fim.

• Preservação vs. Documentação

A obra de arte digital pode ser considerada efêmera quando toma forma momentaneamente como resultado da interação com a pessoa que dela desfruta. Nesse caso, a obra é única e irrepetível ao mesmo tempo, pelo que o mais próximo da sua preservação é a documentação. Segundo as características da obra digital efêmera, é possível preservar as condições que permitem oferecer a experiência de criar a obra todas as vezes que o seu criador ou criadora decida, e de acordo com as condições do recinto onde é exposta. Em todos os casos, se procura manter a estabilidade material/digital e semântica da obra. Também há o caso das obras que são um híbrido artístico, ou seja, com uma parte material e outra a digital, pelo que a sua conservação requer tanto a documentação como a preservação.

Ξ Eventos para desfrutar de Arte e Tecnologia

Artistas de todo o mundo trabalham próximo de profissionais de diferentes áreas de conhecimento que os ajudaram a explorar novas linguagens artísticas. Por seu turno, visitantes de todo o mundo assistem a eventos que se esmeram para mostrar as mais diversas propostas de arte, tecnologia e muito talento artístico.

Artfutura- ArtFutura. É um festival de Cultura e Criatividade Digital que se realiza desde 1990. Este evento explora os projetos e idéias mais importantes internacionalmente relacionados com novos meios, desenho de interação, videogames e animação digital. As suas atividades incluem exposições, conferências, cursos, instalações interativas e atuações em direto.

LPM- LPM, Live Performance Meeting. O LPM é um evento anual ao qual comparecem artistas visuais de todo o mundo. A sua primeira edição foi em 2004 com o objetivo de criar um campo referencial para o desenvolvimento do VJing. Hoje em dia, é um espaço de encontro para artistas, profissionais e apaixonados pela projeção visual ao vivo, video performance e atuações visuais.

VJFestist- VJ Festist. O Festival de VJ de Istambul, na Turquia, é uma organização sem fins lucrativos que promove a colaboração entre e para os artistas visuais do VJing a nível internacional. A sua motivação é valorizar o VJing como um ato social, ou seja, aberto e livre. A sua edição de 2012 teve como objetivo oferecer luz e cor a diversos espaços públicos.

ALEXMAYVIDEOPAPPING_zps3df725e9- Encontro de Arte Digital: Sinal Aberto no MAC. Alguns museus, como o Museu de Arte Contemporânea de Caracas, realizam cursos relacionados com a criação e mistura de visuais. Uma delas decorreu por ocasião do evento Encontro de Arte Digital: Sinal Aberto, realizado em Caracas em setembro de 2013, com a presença de artistas visuais nacionais e internacionais.

visualBrasilVisual Brasil. É um festival de performances artísticas dedicado ao vídeo e ao som em tempo real. Se realiza desde 2003. O seu objetivo é exibir e debater novas tecnologias e conceitos da cena audiovisual contemporânea.

tecnopolis- Tecnópolis, a mega mostra de arte, ciência e tecnologia. Desde 2011 que é levado a cabo o encontro anual de ciência, arte e tecnologia denominado Tecnópolis, com sede na Argentina. Com uma proposta de jogos, musica e espetáculos ao vivo, este importante evento alberga espaços temáticos para todo o público, como os destinados à biotecnologia, arte urbana, robótica, neurociências, videogames, telecomunicações, nanotecnologia, energias alternativas e muito mais.

ArsElectronica- Festival Ars Electrónica. Inspirado na revolução digital, este festival se estreou no dia 18 de setembro em de 1979 em Linz, na Áustria. O evento se concentra nas interrogações que o futuro encerra sobre a relação entre a arte, tecnologia e sociedade.

Ξ Alguns prêmios e reconhecimentos

» 5m80, A obra 5.80, dirigida por Nicolas Devaux, recebeu o Prêmio 3D Futura Show por parte do júri da ArtFutura 2013. A obra, que mistura beleza e humor, alude no seu título aos cinco metros e 80 centímetros de altura de uma girafa adulta.

» Rezo do artista Edgardo Fernández De Noda, recebeu uma Menção na categoria Profesional no Primeiro Concurso Latino-americano de Impressão 3D ‘“Todo es posible”, organizado pela universidade ORT do Uruguai em maio de 2014.

Rezo

» Mite foi galardoada como Melhor Curta-Metragem de Animação no Festival Mundos Digitales 2014. “Mite“, , cuja tradução é ácaro, mostra uma visão particular da vida deles num tapete. A obra foi realizada e produzida por Walter Volbers.

» Rain Room, da Random International, recebeu o Golden Nica 2012 como melhor obra interativa. A obra consiste num recinto de cem metros quadrados, com água que cai e simula chuva, e através da qual podemos passar sem nos molharmos. Este ambiente repleto de sons de água e umidade permite interagir com um aguaceiro cuidadosamente coreografado que responde à presença e movimentos do visitante.

» Box, de Bot & Dolly (USA), recebeu uma distinção no Prix Ars 2014, na categoria de Animação Digital / Cinema Efeitos Especiais. A obra explora a união do espaço real com o digital, através da projeção de um video mapping sobre superfícies em movimento.

Ξ Arte + Ciência

As formas, as cores e as expressões próprias da natureza têm servido de inspiração a artistas ao longo dos tempos. No entanto, com os avanços da ciência e da tecnologia, eles puderam ficar a conhecê-la de outra maneira e se inspirar ainda mais. Bactérias, fungos, protozoários e algas formam a base de criação de novas formas de expressão artística. Os microscópios modernos e até mesmo a manipulação genética convergem numa forma de expressão artística que mostra a versatilidade de um artista ou de uma artista na busca de meios de expressão e que redimensiona também o que entendemos como beleza. À semelhança de outras categorias artísticas, os meios digitais têm servido de veículo para partilhar essas expressões tão particulares do espírito humano.

• Arte e microbiologia, a ciência por trás da arte

O acadêmico e artista israelita Eshel Ben-Jacob, professor de Física na Faculdade de Física e Astronomia da Universidade de Tel-Aviv, é o criador de uma série de imagens artísticas geradas a partir de bactérias cultivadas em placas de Petri. As cores e sombras que cada uma apresenta são acrescentos artísticos do autor.

Bactery_art

• Reinterpretar a ciência como arte

A artista e geneticista Hunter Cole, também professora de Biologia e Arte na Universidade Loyola de Chicago (EUA), oferece esta galeria virtual na qual expõe imagens criadas com bactérias bioluminescentes. A partir dessas imagens, a artista também realizou um vídeo com a técnica time-lapse e com música baseada na sequência proteica conseguida na bactéria. Conforme se explica no vídeo, as cores são o produto das reações químicas da bactéria, e as mudanças de forma correspondem ao crescimento e à morte da mesma.

Ξ Direitos dos artistas sobre as suas obras, seja digital ou não

dereito de autor é o direito que qualquer pessoa tem sobre as suas criações literárias, artísticas ou científicas, seja qual for o seu suporte ou formato, incluindo o digital. Este direito nasce com o ato da criação, mas é recomendado o registro da obra para evitar o plágio e a sua utilização inadequada.

Os direitos do artista ou da artista sobre a sua obra podem ser de caráter moral e de caráter patrimonial. Os direitos morais lhe permitem: exigir o reconhecimento da autoria, decidir se publica ou não a sua obra, divulgar a sua obra com o seu nome ou com um pseudônimo, impedir que a sua obra seja adulterada, entre outras coisas.

Por seu lado, os direitos patrimoniais permitem aos artistas: decidir e estabelecer acordos quanto à reprodução, distribuição, comunicação e transformação das suas obras. Qualquer utilização que esteja fora desses acordos, por parte de qualquer pessoa, pode ser considerado ilegal.

- DARDireito de Autor Regional. É um sistema de informação jurídica online especializado na temática dos direitos de autor e dos direitos relacionados, com o apoio de CERLALC e da UNESCO. Contém leis e regulamentos de todos os países da Ibero-América, tratados internacionais e a mais completa base de dados de doutrina judicial, administrativa e arbitral sobre esta temática.

- Licenças Creative Commons. Este sistema de licenças, que surgiu em 2001, permite aos autores e autoras escolher que direitos sobre as suas obras querem ceder e em que condições. O seu objetivo principal é facilitar o intercâmbio de conhecimentos com ferramentas legais gratuitas. Em qualquer uma das suas variantes, permite a cópia legal e obriga as pessoas receptoras a reconhecer a autoria correspondente. Para fazer uso destas licenças, é necessário seguir os passos indicados na sua página de Internet .

Ξ Os avanços tecnológicos que permitem a inclusão

Numerosas instituições culturais oferecem visitas ao seu catálogo digitalizado de coleções e visitas virtuais, assim como vídeos formativos e jogos educativos. Este tipo de iniciativas abriu as portas da participação, do lazer e da educação a numerosas pessoas que, por motivos de distância geográfica ou alguma incapacidade motora, se viram excluídas deste tipo de atividades. A realização pessoal melhora a percepção que temos do nosso ambiente e de nós mesmos, nos incentiva a continuar atingindo as nossas metas e redunda numa melhor qualidade de vida. Todos temos direito a isso, daí ser tão importante o contributo da tecnologia para diminuir a exclusão.

  

• Neil Harbisson escuta a cor

O artista londrino Neil Harbisson nasceu sem a capacidade de ver as cores, motivo pelo qual usa um dispositivo implantado na sua cabeça que “traduz” cada cor numa frequência audível, até mesmo as cores que o olho humano não percepciona. Desta maneira, Neil diz escutar rostos e pinturas e experienciar o mundo como uma sinfonia de cores.

Ξ A Arte Digital pelas palavras dos artistas

- «A realidade virtual permite-nos regressar e explorar o que poderia ter sido.» Jaron lanier.

- «A ubiquidade da tecnologia digital e a sua crescente invisibilidade.» Charlie Gere.

- «Antigamente, via as obras de arte como objetos, agora, elas se converteram em processos.» Paul Brown.

- «Um artista é-o em qualquer campo, científico ou humanista, é quem capta as implicações das suas ações e o novo conhecimento. É a pessoa de consciência integral.» Marshall McLuhan.

- «Um artista é também um inventor com vontade de descobrir novos métodos para facilitar as suas próprias técnicas Sir Roland Penrose.

- «A RA permite uma nova interpretação criativa na qual a obra real e a obra digital se conjugam para formar uma só, obtendo-se uma obra aumentada paralela a ambos os mundos.» David Ruiz Torres.

- «Não sinto que use tecnologia, ou que tenha tecnologia incorporada em mim. Sinto que sou a tecnologia.» Neil Harbisson.

- «A arte é, agora, e acima de tudo, uma forma de pensar.» Susan Sontag.

- «A tecnologia recente deu-nos a possibilidade de fazer coisas à velocidade a que o artista pensa.» Bill Goldston.

«Para o artista, o digital é o maior desafio, a mudança mais empolgante na longa história de síntese entre a tecnologia, a mão, a mente e o coração.» J. D. Jarvis.

Martha Ivonne Jiménez Homes
Editora Ejecutiva Contenidos y Desarrollos Digitales

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
émotions : heureux - malheureux
Somos sinceros?

As redes sociais não são o mundo real. Esta evidência, por vezes, é eclipsada pelo nosso desejo de mostrar fotos...

Cerrar