#autoRetretes, outra forma de tirar fotografias

Uly_martin
Visto 4.337 veces

Os novos celulares com câmera incorporada provocaram um boom da fotografia, sendo tiradas milhares de fotos por dia. Tirar fotos nos banheiros, aproveitando os espelhos, é uma prática muito banalizada e tem várias denominações: “autorretretes”, “fotorretretes, etc.

Boris_Izaguirre_Luz_Sanchez_Mellado

Em finais de 2011, uma amiga me mandou uma foto que tinha tirado com o seu celular e onde aparecia o seu reflexo no espelho de um banheiro. Para poder fazer comentários sobre os enquadramentos, a luz, etc., tirei algumas em minha casa também com o celular. A esse par de fotos, se seguiu mais umas tantas: num bar ou num estádio de futebol, e todas tinham algo em comum – tinham sido tiradas nos banheiros e aproveitando o reflexo nos espelhos.

Con Miguel Ángel de la Fuente, cámara de TVE y Pepe Díaz, fotógrafo de la revista de Defensa. En el destacamento Orión en Yibuti.Con Cristóbal Manuel, fotógrafo de El País, en el estadio Santiago Bernabéu.

Em pouco tempo, tinha duas dúzias de fotos e decidi publicá-las no mural da minha página do Facebook. Era um jogo, com fotos tiradas com o iPhone e usando a aplicação Hipstamatic. Não havia banheiro que me escapasse: o de um café, o do Congresso dos Deputados, num ministério ou numa casa particular. O número de fotos estava a aumentar e nelas aparecia só eu ou então na companhia de colegas do EL PAÍS e de outros meios. Tomei o gosto à coisa. Acabei por acumular várias centenas de imagens e chegou o momento de dar um nome ao álbum. Não me lembro de como surgiu ou de quem foi a ideia, mas um autorretrato realizado num banheiro não tinha muitas opções além de “autorretrete”. Um colega sugeriu que se chamassem “urinários”, mas acabei por lhes dar o nome de “autoRetretes“.

Con Marta Herrero, productora de la cadena de TV Al Yazira. En el Palacio de la Moncloa.

Con Marta Herrero, productora de la cadena de TV Al Yazira. En el Palacio de la Moncloa.

Chegado a este volume de imagens, decidi dar um salto qualitativo e tentar incorporar nos autoRetretespersonalidades que fotografo no meu trabalho quotidiano para o jornal, mas realizando um retrato com uma certa qualidade fotográfica. A reação não se fez esperar e a maioria das propostas foi aceite: políticos, escritores, atores, jornalistas, entre outros, começaram a participar neste projeto, que está começando a crescer. Montei uma primeira galeria de fotos que foi publicada na página de Internet do EL PAÍS e já tenho preparadas umas quantas imagens para criar a segunda.

Uly Martín

Uly Martín

Parece que o fenômeno veio para ficar. Até quando? Isso, o tempo o dirá.


Uly Martín Castellanos
Fotógrafo de EL PAÍS

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
Capturing New York City
Tirar partido do celular

Há muito tempo que a fotografia é uma parte fundamental da comunicação, mas o que agora se passa é surpreendente....

Cerrar