Dicionário ilustrado português-social media, social media-português

alphabet haut de page

letraEste vídeo é um fake, a minha vizinha manda-me selfies, ontem perdi um follower. Não está percebendo nada? Ultimamente, sente-se perdido nas conversas? Ponha fim à sua ignorância digital! Use este dicionário e garantimos-lhe que, em pouco tempo, será capaz de manter uma conversa digna na Internet a um nível equiparável ao de um community manager. Eis alguns testemunhos que nos dão o seu aval:

Antigamente, não me atrevia a comentar as apps que baixava porque não percebia nada e, graças a este dicionário, me tornei um influencer de prestígio” (Juan Ambrosio Solosino, padeiro).

“Finalmente, consigo manter uma conversa com o meu neto e até sou amiga dele no Facebook” (Isabelina Sforzino, aposentada).

“Publiquei o meu próprio videoblog sobre gatos e tenho mais de 5.000 seguidores no Twitter graças a este dicionário” (Carlos Alfredo Ponderoso, engenheiro agrónomo).

letraNota do editor: A presente edição pretende aproximar o usuário da linguagem desse universo tão desconhecido que é a Internet, onde os neologismos, acrónimos e anglicismos se sucedem a alta velocidade. Obviamente, nem estão todos os que existem, nem são todos os que estão, mas reunimos um bom conjunto de ‘palavrões’ (perdão, palavras) que permitirão ao leitor adquirir um domínio bastante aceitável do seu contexto social e digital.

- ~~~~~~~ ♦ . ❣ . ♦ ~~~~~~~ -

_

AllodoxafobiaMedo das opiniões dos outros ou simplesmente de dar a sua opinião sobre algo. Os sintomas revelam-se quando começamos a expor a nossa vida nas redes sociais e os outros opinam coisas diferentes das que pensávamos. (+ info)

Golden Bitcoins (new virtual money )

Representação física de um bitcoin

Astroturfing: Promover ou gerar comentários nas redes sociais favoráveis a uma marca. O truque é que isso é feito por pessoas ligadas à própria marca. Ética à parte, parece funcionar. (+ info)

Binge: Também conhecido como binge-watch. É o hábito (nem bom, nem mau) de se empanturrar online de vários episódios de um seriado de televisão, de tal forma que se consomem temporadas inteiras em tempo recorde e pouco rentável para os produtores. (+ info)

Bitcoin: Moeda virtual criada para ser utilizada em transações na Internet. É uma moeda universal que não pertence a nenhum estado em concreto e que não funciona com intermediários. Não pode ser falsificada, uma vez que possui um sofisticado sistema de encriptação. (+ info)

Bot: Abreviatura de robot. É um programa informático que atua de forma automática, imitando o comportamento humano. Há bots que se fazem passar por pessoas nos chats, outros que realizam funções rotineiras de edição, outros que jogam video games com você. Portanto, pode pensar que se trata de um bot quando perde contra alguém num jogo online. (+ info)

man exercising during work with tablet in his office

Usar seu próprio dispositivo no escritório está se tornando usual

BYOD: Bring Your Own Device ou “traga o seu próprio dispositivo “. Política empresarial de poupança em que os funcionários levam os seus próprios dispositivos para o escritório. A empresa costuma fornecer a ligação à Internet e o software, mas às vezes nem isso. (+ info)

Cheater: Termo que se usa para designar o usuário de video games que faz batota para ter vantagem sobre outros jogadores e fingir que conseguiu passar de nível em tempo recorde. (+ info)

Copyleft: Direito de autor que permite a livre distribuição de cópias e versões modificadas de uma obra, trabalho ou conteúdo, exigindo que os mesmos direitos sejam preservados nas versões modificadas e, na maioria dos casos, que não sejam usadas com fins comerciais. (+ info)

slenderman

Imagem de Slenderman

Creepypasta: São histórias de terror que circulam pela Internet, normalmente em formato vídeo ou em foto, e que afirmam causar traumas psicológicos ao serem vistas. Na verdade, elas buscam explorar a morbidez que todos temos lá no fundo. Alguns exemplos famosos são: Slenderman, Frederick el Criacuervos ou o Google Satânico. (+ info)

Crowd… (-sourcing ,  -working,  -funding, -speaking):  Colaboração aberta online em redor de um projeto entre várias pessoas. Pode ser tanto a nível de tarefas e recursos, como em trabalho ou participação financeira. (+ info)

cyberbulling

Quadro do filme ‘Cyberbully’ que lida com o tema do assédio digital

Cyberbulling: Ato de bullying no contexto educativo, que consiste no acossamento sistemático de uma pessoa por parte de outra, utilizando meios digitais para tal. Esse ato se encontra entre a cobardia de atacar em grupo a pessoa mais frágil e a absurda busca de popularidade por parte dos acossadores. (+ info)

Editiovultafobia: Patologia que sofrem certos usuários da rede social Facebook que faz com que, ao contrário dos outros, eles sofram em cada ligação, seja porque não querem enfrentar de novo amigos e colegas da escola de há demasiados anos ou então porque comparar a sua vida medíocre com a dos outros os faz sentir deprimidos. (+ info)

eidtiovultafobia

Qualquer um teria editiovultafobia se ele tinha como amigo para um vencedor como Zuckerberg.

Ego-branding: Consiste na autopromoção da chamada ‘marca pessoal’, fazendo marketing de você mesmo como se fosse o melhor do mundo. É considerada uma prática nefasta nas redes sociais, sendo castigada com o ostracismo, e é apenas permitida, obviamente, aos famosos. (+ info)

E- Influencer: São os bloggers, twitteiros e demais profetas das redes sociais, cujas simples palavras e opiniões podem alterar profundamente o cosmos digital. É aconselhável ficar muito atento aos seus ensinamentos. (+ Info)

Emoji: É uma expressão à japonesa que se chama aos conhecidos emoticons que são usados principalmente nas mensagens instantâneas. (+ info)

Engagement: É o ‘mantra’ contínuo do marketing online e se define como o compromisso ou envolvimento que um produto ou uma marca alcança com o cliente. (+ info)

fake2

Campana de HUVr apresentando um falso skate voador.

Fake: Termo que se usa na Internet para se referir a algo falso; normalmente, trata-se de um vídeo ou de uma montagem fotográfica que tenta convencer-nos da sua veracidade, apesar de não ser de todo credível. Este costume de vender gato por lebre está se tornando uma prática publicitária muito recorrente, uma vez que, aparentemente, a mentira vende mais do que a verdade e estes fakes costumam ser muito virais. (+ info)

Fan page (Página de Fãs): Páginas ou perfis criados pelas próprias marcas nas redes sociais. O lema que os peritos transmitem é que, o que não estiver em pelo menos duas redes sociais simplesmente não existe. (+ info)

Fanboy_Nintendo

Fanboy do Nintendo.

Fanboy: Aplica-se ao indivíduo que transformou o seu vício pelos produtos da Apple numa religião e que acusa os restantes dispositivos e plataformas de blasfémia. (+ info)

Flash mob: Define-se como a ação de um grupo de indivíduos que se reúnem num lugar e num momento específicos, através das redes sociais, para fazer algo previamente planeado e em simultâneo. Visto de fora, podem parecer pessoas de sanidade duvidosa, mas cada uma destas ações tem um propósito definido. (+ info)

FlashMobZombi

Os flash mobs de zumbi difrazarse são o mais movimentado.

Follow Friday (#FF): Etiqueta ou tema usado no Twitter à sexta-feira e que consiste em recomendar aos seus usuários seguir os perfis que aparecem num tweet juntamente com essa etiqueta. De facto, não faz muito sentido, mas se todo o mundo a usa, por algum motivo deve ser. (+ info)

Follower: Usuário que segue outro numa rede social. É usado quase exclusivamente no Twitter. É preciso compreender que, apesar de você seguir alguém, essa pessoa não é obrigada a segui-lo também. Não é a mesma filosofia que se aplica aos ‘amigos’ do Facebook. (+ info)

Freebie Marketing: Oferta de produtos grátis, como um chamariz, para conseguir captar seguidores nas páginas de Internet ou perfis sociais de uma marca, com o objetivo de aumentar a sua carteira social de potenciais clientes. (+ info)

Freemium_spotify

Spotify foi um dos pioneiros de ofertar no freemium.

Freemium: Sábia conjugação das palavras inglesas free (gratuito) e premium (exclusividade, privilégio). Implementado como o modelo de negócio mais popular na Internet, funciona oferecendo serviços básicos gratuitos, com a opção de escolher outros mais avançados ou especiais a troco de pagamento. (+ info)

Gamification ou gamificação: Transformação de atividades que são habitualmente monótonas e entediantes em jogos através dos quais se obtêm recompensas. O usuário fica satisfeito ao ganhar algo, ainda que seja medalha virtual, com tarefas tão aborrecidas como depositar dinheiro numa conta bancária ou fazer um clique no “gosto”. (+ info)

Geek: Pessoa incrivelmente fascinada por tudo o que tenha a ver com tecnologia e que prefere comprar um smartphone de última geração a ter comida na geladeira. Normalmente, são pessoas respeitadas no meio digital pelos seus conhecimentos, apesar de serem considerados um pouco estranhos. (+ info)

geek

Enjuto Mojamuto é uma minissérie, cujo protagonista é um geek.

Geolocalización ou Geoposicionamento: Localização contínua do usuário através do GPS do seu dispositivo móvel. É útil para o usuário, uma vez que recebe serviços e ofertas apetecíveis por onde quer que passe, mas é sobretudo útil para as empresas que obtêm lucros com negócios baseados na localização. (+ info)

Glasshole: Termo que provém das palavras inglesas ‘glass’ (óculos) e ‘asshole’ (estúpido) e que se emprega para definir a pessoa que gosta de se vangloriar de ter experimentado ou adquirido um par de Google Glass e que tirou uma foto com eles, mostrando-a até à exaustão nas redes sociais. É uma prática que começou por ser pioneira, mas que agora se tornou quase maldita. (+ info)

Hangout: É como se chama no Google+ às reuniões virtuais através de videoconferência. Atualmente, é considerado muito melhor participar em hangouts do que experimentar os Google Glass e dá mais fama de geek do que o famoso dispositivo. (+ info)

Glasshole

O uso do Google Glass produz distorção das facções do rosto.

Hashtag: Tema do momento nas redes sociais. A sua origem está no Twitter, onde se utiliza o símbolo # antes do tema para lhe dar destaque. Os especialistas alertam para o facto de o uso excessivo de hashtags num tweet provocar uma rejeição profunda. (+ info)

Hater: Termo que define os trolls no contexto do YouTube. (+ info)

Hipster: Tribo urbana e digital composta por indivíduos entre os 20 e os 30 anos, herdeiros da geração Y, que combina o espírito hippie com o contexto tecnológico atual. Defendem o pensamento e a cultura independentes, a política progressista e são muito ativos na Internet, que é o seu meio por excelência. Usam óculos de massa, roupa vintage, franja e barbas abundantes (este último elemento apenas no caso dos homens, claro). (+ info)

Hipster

Típica família hipster.

Hoax: Um embuste ou notícia falsa que se propaga pelas redes sociais em cadeia. É a típica mensagem que lhe conta uma história triste sobre alguém e que lhe pede que a reenvie a pelo menos 10 pessoas, se não quiser que o mesmo lhe aconteça. Trata-se de uma prática que se usava há anos no correio eletrónico e que tinha sido dada como extinta, mas que está ressurgindo até no WhatsApp. Apesar de não se tratar de uma fraude só por si, costuma ser utilizada para recolher endereços eletrónicos, sabe-se lá para fazer o quê com eles. (+ info)

Infoxicación: Efeito produzido pelo excesso contínuo de informação ou de dados que um indivíduo sofre quando entra no mundo digital. A quantidade de informação com que temos de lidar todos os dias é enorme e a nossa incapacidade de geri-la nos dá uma sensação que oscila continuamente entre o consumo excessivo de informação e a ideia de que estamos perdendo algo sempre que escolhemos ler uma coisa em detrimento de outra. (+ info)

Kainolofobia: Medo de tudo o que é novo. Fobia demolidora para quem padece dela e vive nesta sociedade da informação em que as novidades se sucedem vertiginosamente a cada minuto (+ info)

Businessman standing in front of drawn charts on a blackboard

O contínuo bombardeio de informações pode causar estresse.

Klout: Termo que se refere ao nível de relevância, influência, popularidade ou reputação de um determinado usuário dentro das redes sociais. Na realidade, Klout é o nome de uma ferramenta criada para fazer estas medições e que se tornou tão popular que deu o nome a este nível de reputação social. Tal como os Kleenex estão para os lenços de papel. (+ info)

Lamer: Pessoa que tenta passar uma imagem de grande entendido em algo mas que, na verdade, não sabe nada de nada, nem sequer tem intenção de aprender. É uma personagem típica de qualquer tipo de fórum ou de comentários de blogues, e cujos nefastos contributos servem apenas para confundir o resto da galera. (+ info)

Likeshunter: Trata-se do usuário que faz de tudo para fazer com que os seus amigos e seguidores cliquem no botão de “gosto” (likes), façam retweets e comentem cada uma das suas publicações nas redes sociais. A única coisa que lhes interessa é mostrar quem é mais abonado (na lista de seguidores, entenda-se). (+ info)

Likeshunter

Um likeshunter não ducaria para usar esta imagem para obtener ‘likes’.

LoL (laughing out loud): Acrónimo anglo-saxónico com o qual o interlocutor admite que está rindo às gargalhadas por causa de algo. O termo faz parte da economia da linguagem e do uso excessivo de abreviaturas de palavras que impera nas comunicações sem fios atualmente. (+ info)

Lurker: Refere-se ao usuário internauta que gosta de ler fóruns, blogues e redes sociais, mas que não contribui através de conteúdos ou de comentários. Damos pela sua presença porque é detetado pelas ferramentas de audiências, apesar de não estarmos perante verdadeiros “convidados indesejáveis” da Internet. O mais triste é que se tornaram a maioria e constituem já mais de 80% dos usuários. (+ info)

Meme: Nome que se atribui a qualquer fenómeno da Internet que se torne popular; normalmente, são vídeos ou imagens difundidos pelos usuários. Estes costumam se modificar, evoluir e divulgar extremamente depressa, umas alcançando por vezes fama mundial e outras desaparecendo em poucos dias. (+ info)

Meme_Chuck_Norris

Chuck Norris possivelmente ser o meme mais uso da rede.

MOOC: Acrónimo de Massive Open Online Course, que traduzido para português fica Curso Online Aberto e Massivo. O que devemos retirar daqui é que são gratuitos, acessíveis através da Internet e que são para todos, uma vez que se baseiam na teoria da libertação do conhecimento. Atualmente, estão alcançando muita fama, pelo que existe na Rede um interessante catálogo de cursos MOOC de grande qualidade. (+ info)

Nerd: Ao contrário de geek, é um termo depreciativo. Ambos os termos designam uma pessoa apaixonada pelos dispositivos, pela tecnologia e pela ficção científica mas, ao passo que um geek circula pela Internet seguro de si, um nerd esconde a sua incapacidade de se relacionar com os outros por trás de um perfil, normalmente falso. A seu favor, é costume atribuir-lhes, inexplicavelmente, uma inteligência acima da média. (+ info)

Netiquette: Protocolo social constituído por um conjunto de regras básicas de comportamento que todos os usuários devem aplicar nas interações com os outros na Internet. São basicamente as mesmas que as nossas mães nos ensinaram: porte-se bem e seja bem-educado. (+ info)

Young woman texting and driving

O fato não pode ser sem telefone móvel pode tornar-se catastrófica.

Newbie: Termo que se refere ao recém-iniciado nas artes da Internet. Normalmente, são pessoas muito decididas a aprender tudo e de forma rápida, o que lhes dá um toque de impaciência e agitação espontânea que provoca a rejeição dos ‘veteranos’. No caso dos veteranos, usam palavras depreciativas como “Noob” ou “Newb” para se referirem a eles. (+ info)

Nomophobia: Vocábulo que designa o pânico que uma pessoa sente quando dá conta que saiu de casa sem o seu celular. Esta patologia recebeu o seu nome a partir da expressão em inglês no-mobile-phone (sem celular) conjugada com a palavra phobia (medo) e se caracteriza por amplos quadros de ansiedade e sentimento de abandono por parte da pessoa que dele padece. (+ info)

OPT-OUT: Curiosa prática do email marketing em que se pressupõe que, se o usuário não indicou expressamente que não deseja participar em algo, é porque deseja receber todos os emails comerciais da nossa empresa. (+ info)

Phablet

Uma chamada de telefone através de um phablet pode ser um pouco trabalhoso.

Phablet: Trata-se dos dispositivos móveis que, na verdade, são um smartphone, mas que têm quase o tamanho de um tablet de 7 polegadas. Este tipo de dispositivo está ganhando terreno entre os usuários, seguramente por ser fiel à ideia de que o que é grande é sempre melhor, mesmo que não seja. (+ info)

Phising: Termo que se enquadra no mundo do cibercrime e que designa a prática através da qual se engana o usuário com o intuito de obter os seus dados e chaves de acesso de modo a poder roubar a sua identidade. Normalmente, utiliza-se para roubar dinheiro ao usuário, mas também se usa para piratear perfis nas redes sociais, com o objetivo de prejudicar deliberadamente a imagem de uma pessoa. (+ info)

Phubbing: Neologismo composto pelas palavras anglo-saxónicas phone (telefone) e snubbing (ignorar) e que designa o ato de ignorar as pessoas que estão em nosso redor e que não tiram os olhos do celular em vez de nos dar a atenção que merecemos. (+ info)

Pinear: Diz-se da prática de subir conteúdos ou de comentar própria da rede social Pinterest. (+ info)

planking

Qualquer lugar é bom para a prática do planking.

Planking: Termo que designa a popular prática (ou meme) que consiste em tirar uma foto deitado de barriga para baixo num local onde esse ato não seja muito fácil de realizar. (+ info)

Ploguero: Aplica-se à figura política que tem ou escreve num blogue. (+ info)

Postureo: Palavra que serve para expressar aqueles tipos de comportamento nas redes sociais a que se chama ‘de pose’, em que o indivíduo favorece mais a sua imagem do que a existência de uma verdadeira motivação. (+ info)

Retterofobia: Medo de escrever mal uma mensagem. Trata-se de uma neofobia que deriva da ansiedade que produz a incerteza de estar escrevendo algo mal, ou seja, o mítico medo do fracasso. (+ info)

selfie

Imagem de um selfie de alto risco.

Selfie: Ato egocêntrico de tirar fotografias de si mesmo em qualquer momento e em qualquer lugar (qualquer pretexto é bom), com o único propósito de expô-la nas redes sociais para tormento deles mesmos e dos outros. O fenómeno da selfie deu origem a outros termos derivados, como por exemplo: sexting de índole sexual, helfie só do cabelo, belfie dedicado exclusivamente ao bumbum e drelfie, um autorretrato embriagado. (+ info)

Setup: No YouTube, é o vídeo de apresentação de um youtuber e o dito mostra absolutamente tudo o que faz durante o dia, como é o seu ambiente, o que come, o seu quarto, o seu gato, etc. Este tipo de vídeo provoca no espectador uma série de sentimentos contraditórios: não suporta conhecer a vida de outra pessoa tão a fundo, mas ao mesmo tempo a curiosidade assim o exige. (+ info)

Showrooming: Aplica-se à prática de entrar numa loja com o único objetivo de comparar os preços dos produtos em que estamos interessados com o seu preço nas lojas online, em tempo real e com a ajuda de um smartphone, utilizando a loja física unicamente como mero catálogo palpável do que se comprará depois fora dela. A enorme propagação desta prática, nefasta para o comércio tradicional, fez com que certas lojas proíbam os clientes de utilizar o celular. (+ info)

showrooming

A prática do showrooming está se tornando mais popular.

Smartphone: É como chamamos agora ao telefone móvel ou celular que sempre conhecemos. A grande diferença neste caso é que possui muito mais funcionalidades e ferramentas, algo que o afasta cada vez mais da ideia original de um telefone, ou seja, comunicar à distância através da voz. (+ info)

Socmefobia: Neofobia que se descreve como o medo ou rejeição de tudo o que está relacionado com as redes sociais. Termo que vem da ciberfobia, mais própria dos anos 80 e 90 e que definia o medo dos computadores em geral. (+ info)

SoLoMo: Acrónimo de Social, Local e Móvel. Conceito que se refere às aplicações que permitem aos usuários partilhar informações nas redes sociais através de dispositivos móveis com outras pessoas de uma determinada área geolocalizada. O uso mais extenso está ligado às aplicações de recomendações de restaurantes e hotéis que todos utilizamos. (+ info)

Socmephofia

A socmefobia é uma das doenças mentais nascidas do ambiente digital.

Splog: Abreviatura dos blogues de spam. Blogue com conteúdo falso ou copiado e criado com o único propósito de promover páginas de Internet afiliadas para melhorar a posição das mesmas nos buscadores, procurando com isso obter receitas da publicidade que se paga pela quantidade de visitantes. Estima-se que 3 em cada 5 blogues são falsos, pelo que o Google castiga ferozmente este tipo de blogues nas suas buscas. (+ info)

Startup: Nome que designa uma empresa emergente e inovadora na área das novas tecnologias. Normalmente, está associada a jovens empreendedores e à criação de aplicações móveis. O significado inicial do termo refere-se a uma empresa tecnológica, recém-criada, que tem um arranque favorável em relação às restantes do meio. Porém, o uso abusivo deste neologismo fez com que se utilize para designar qualquer empresa que tenha a ver, ainda que minimamente, com a tecnologia. (+ info)

Stormblog: Se trata do blogue ou tema que tem tanto impacto na Internet que consegue sair da Rede e ser mencionado pelos meios tradicionais. (+ info)

Timeline: Também conhecido como ‘quadro de avisos’ ou ‘mural’, define o historial de publicações e comentários, tanto próprios como alheios, de um determinado perfil de uma rede social. (+ info)

nerd_techie

Imagem idílica de um techie da década de 1980.

Techie: São também chamados de ‘telas negras’, devido ao seu caráter de programadores. Define-se como aquelas pessoas tremendamente apaixonadas pelos dispositivos eletrónicos, sobretudo os de tecnologia de ponta. Ao contrário dos nerds e dos geeks, que têm um caráter mais próximo da cultura dos meios sociais, os techies buscam mais a relação entre homem e máquina e são muito prezados pela indústria tecnológica como pequenos laboratórios de inovação. (+ info)

Trending Topic (TT): Palavras que definem os temas mais populares do Twitter num determinado momento. Podem variar em termos geográficos, do mais local ao global, e é aconselhável tê-los em conta e fazer uso deles se queremos ser tidos em conta a nível de participação no Twitter. Conseguir se transformar num TT é o sonho de qualquer community manager. (+ info)

Trendspotters: Termo que define os identificadores de tendências no meio digital. Este tipo de pessoas tem um dom inato que lhes permite se adiantarem aos acontecimentos futuros. É muito útil seguir a sua trajetória para estar a par das mudanças. (+ info)

trendshunters

As conferências tecnológicas, como este do CES Las Vegas, são terreno fértil para o trendshunters.

Troll: (Hater no YouTube) É aquela pessoa que intervém nos fóruns, chats ou comentários da Internet com mensagens polémicas, difamatórias, irrelevantes ou até mesmo ofensivas, com o único propósito de criar um ambiente violento para outros usuários ou então para interromper o tema de conversa. Percebe-se logo quem são mal escrevem a primeira frase, pelo que os usuários comuns cada vez lhes prestam menos atenção. (+ info)

Typosquatting: Má prática ligada aos domínios de Internet que se aproveita dos enganos ortográficos que os usuários cometem quando fazem uma busca ou introduzem o endereço de um domínio web, para captar audiência ilegítima e obter receitas publicitárias. (+ info)

typosquatting copia

A prática de typosquatting procura os melhores truques para confundir o usuário.

Tweetbombing: Conceito associado ao Twitter que define a ação de um grupo de usuários (coordenados ou não) contra outro usuário, dirigindo-se a ele de uma forma tão excessivamente frequente que acaba se tornando prejudicial para a vítima. Pode ser feito tanto por menção como por mensagem direta, e os principais alvos são pessoas famosas ou marcas. (+ info)

Viral: Todo o tipo de conteúdo que causou tamanha sensação entre os usuários da Internet que se propaga rapidamente pelas redes sociais. Normalmente, este tipo de conteúdo foi concebido de propósito para gerar essa viralidade, uma vez que faz parte do conceito publicitário do neuromarketing que busca a máxima empatia das marcas com os usuários. (+ info)

Vlog: Palavra que define o blogue de caráter audiovisual cujas entradas se realizam exclusivamente por vídeo. O YouTube é a plataforma que mais videoblogs reúne. (+ info)

Vlogger: Pessoa ou marca que gere e publica um blogue ou videoblog. No YouTube são os YouTubers. (+ info)

vlogger

“Hola soy Germán” é o YouTuber mais popular blog de língua espanhola.

Wearable: Peça de roupa ou acessório de moda que tem um ou vários componentes tecnológicos através dos quais o usuário que os enverga pode interagir, seja na própria peça de roupa ou através de outros dispositivos móveis. (+ info)

Webinar: Formato de comunicação através do qual um palestrante pode realizar uma apresentação online para outros usuários conectados mediante uma plataforma, sem necessidade de estar fisicamente presente. O seu uso mais frequente é na realização de pequenos cursos e na apresentação publicitária de produtos. (+ info)

WoM: Acrónimo da expressão inglesa Word-of-mouth Marketing. Em português, “boca-a-boca”. É uma referência à prática publicitária mais clássica, a recomendação de um produto através da transmissão oral entre os próprios consumidores, neste caso, usuários da Internet. Os publicistas anseiam conseguir, acima de tudo, que a sua marca conquiste as pessoas para que elas se tornem o melhor suporte publicitário que existe. (+ info)

wearable

As pulseiras tecnológicas são os wereables que estão a tomar a melhor aceitação.

Zumbi: Computador infetado por um programa malicioso e que está sendo utilizado remotamente por alguém que o opera a seu bel-prazer para lançar ataques hostis contra servidores informáticos. (+ info)

_

4 Comentarios

  • avatar Irene Tejada 23 março, 2014

    Muy útil. Lo comparto en mi twitter y lo usaré que siempre hay algo que se olvida.

    • avatar Miguel Corcobado 24 março, 2014

      Gracias Irene, me alegro de que te sea útil, esa es la verdadera finalidad de haber hecho converger así todos esos ‘palabros’.

  • avatar marivi hernandez 20 março, 2014

    parece interesante

  • avatar Javier Sobrino 20 março, 2014

    Creo que te puede interesar.

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
7
“Os cibervoluntários contribuem para transformar a sociedade através das novas tecnologias”

Há mais de uma década, Yolanda Rueda decidiu colocar em marcha a ONG Cibervoluntarios. Agora, são mais de 1.500 os...

Cerrar