Divirta-se e aprenda na Nanoland

stardust and magic in your hands

MMOG (videogame multijogador massivo online), redes sociais, segurança e crianças. Estas são as palavras-chave que têm impulsionado o desenvolvimento da Nanoland, o MMOG lançado pela Santillana alguns dias atrás e que nos permitiu aprofundar na indústria dos jogos sociais de videogame. Uma indústria que, graças a um modelo freemium, gera milhões de dólares e não está dedicada apenas aos fanáticos. Na verdade se nos ativermos ao interessante infográfico de Mashable, que resume a atual situação dos jogos sociais, podemos perceber a importância deste tipo de jogo. É, por exemplo, o caso de Zynga com Farmville e sucessores: à base de oferecer jogos grátis e cobrando somente por complementos e adicionais, fizeram 600 milhões de caixa e atraíram mais de 230 milhões de jogadores.

Facebook tem 83% dos jogadores online e se prevê que para o ano 2013 serão gastos $6 bilhões em bens virtuais. Se existe algo mais que estimule o crescimento dos jogos online, é o número de downloads através dos celulares, com um total de 70-80%. É o caso de Angry Birds com 140 milhões de downloads.

Neste contexto Santillana lançou Nanoland, o primeiro MMOG feito integralmente na América Latina. Nanoland está disponível em três idiomas (espanhol, português e inglês) através da página www.nanoland.com, e nasce das mãos de Inevery, um centro de inovação digital, promovido pela Santillana e que tem como objetivo apoiar novas iniciativas de produtos e serviços que facilitem o acesso à educação, à cultura e ao lazer digital a nível internacional.

Ao contrário de outros MMOGs, Inevery projetou Nanoland para a diversão e a aprendizagem de habilidades para crianças entre 8 e 12 anos, incorporando uma importante qualidade pedagógica que permite aos pais analisarem o progresso de seus filhos em diferentes habilidades. Tem como objetivo promover o desenvolvimento psicomotor, cognitivo e atitudes das crianças que aprenderão a interagir com outras crianças e outros ambientes. De acordo com seus interesses, poderão adquirir habilidades para a mágica, música ou esportes e se integrarem em clubes sobre estes temas, gerando uma maior interação com o resto dos jogadores com os quais compartem inquietudes. E isso de forma divertida.

Na Nanoland as crianças criam seu próprio avatar ou nano e escolhem desde a roupa até as características físicas do personagem. Além disso, é permitido a cada nano conhecer a outros nanos e interagir com eles em um ambiente aberto e respeitoso, que passou por importantes controles de qualidade para garantir a segurança dos menores. Nanoland conta com cinco zonas nas quais o jogador irá encontrar mais de trinta minijogos: Rokamon é a área dos monstros; Azaria, a de mágica; Nanoyork, a zona da diversão; Starland, a área da música e o Setor X, o território dos robôs. Conforme a prática do nano nestas zonas, ele será recompensado com uma moeda virtual própria, chamada “botões”, com a qual poderá obter acessórios e roupas ou decorar sua casa com móveis e objetos, desenvolvendo a sua própria personalidade. Nanoland oferece jogos abertos que são gratuitos para todos os jogadores como também jogos que podem ser acessados através de assinatura ou pequenos pagamentos.

Nanoland foi lançado com uma importante campanha de comunicação global no dia 26 de outubro e desde então já alcançou 1 milhão de páginas vistas e 158 mil usuários únicos (fonte: Google Analytics)

Vamos todos jogar na Nanoland!

Yolanda Cabezas
Marketing & Sales Manager
SANTILLANA Negocios Digitales

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
Desenhar o seu próprio boneco de palito

As possibilidades do mundo digital são fantásticas com um pouco de criatividade. A intenção é ir descobrindo, seja em um e-mail que um amigo enviou, no site  do seu jornal habitual, recomendado em uma...

Cerrar