O desafio de facilitar a vida das pessoas

PressPeople

Não faz muito tempo, para encontrar uma casa, andávamos pela rua de nariz no ar em busca de cartazes, esquadrinhávamos uma interminável e entediante lista num jornal ou recorríamos a uma empresa especializada para que nos ajudasse. Fazíamos o mesmo para encontrar um emprego (à exceção de andar a olhar para o ar). Comunicar, aceder a informação, ouvir música… Todos os projetos de sucesso na Internet têm uma coisa em comum: facilitam de alguma maneira a vida das pessoas.

Este enfoque é particularmente importante quando se trata de assuntos profissionais. Qualquer empresário, pequeno ou grande, está disposto a pagar por uma ferramenta que facilite o seu trabalho ou o dos seus funcionários e os torne mais produtivos. Assim, aliviar certas tarefas é o desafio de milhares de páginas de Internet e aplicações que surgem continuamente.

Quando lancei a PressPeople juntamente com Joaquín Cuenca, fundador da Panoramio (o primeiro projeto espanhol adquirido pela Google), a ideia surgiu justamente assim. Havia certas tarefas do dia a dia de um jornalista que pensava que podiam ser melhoradas; não via a lógica de os comunicados de imprensa, uma ferramenta que é usada desde as associações de vizinhos até aos ministérios, estivessem dispersos pelos correios eletrônicos dos profissionais ou publicadas em páginas de Internet sem ligação entre elas.

A PressPeople pretendia ser o lugar onde todos os comunicados de imprensa de Espanha (ou, porque não, do mundo) estivessem categorizados à disposição dos jornalistas e que estes pudessem consultá-los na página de acordo com o seu interesse, em vez de receberem e-mails que não ficam armazenados, nem disponíveis para consulta. O objetivo é ambicioso e, apesar de termos lançado o projeto há três anos, ainda há muito trabalho pela frente para o atingirmos.

Por ora, já conseguimos reunir entre e 2.000 e 3.000 comunicados de imprensa diários, que são publicados e categorizados na nossa página de Internet de forma automática. Cerca de 100.000 pessoas consultam a página mensalmente, de acordo com os resultados mostrados pela Google Analytics, e centenas de profissionais da comunicação social e do jornalismo a usam todos os dias.

Mas, para que as inovações na Internet se imponham, não basta facilitar um trabalho. Há dezenas de fatores que têm de confluir: uma experiência de usuário satisfatória, uma boa difusão, o estabelecimento e a universalização de certos produtos… Isto porque uma ideia na Internet não vale muito, todos os dias surgem centenas de ideias que fracassam. O Google não foi o primeiro buscador nem o Facebook foi a primeira rede social. É preciso executar as ideias muito bem e ter alguma sorte pelo caminho.

Pablo Linde

Redator de Planeta Futuro e cofundador da PressPeople

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
ChemaAlonso_850
“Sem hackers, o mundo seria menos seguro”

Chema Alonso é um hacker, conhecido no seu meio como “O Maligno” e que usa sempre um gorro de listras....

Cerrar