Isto é o que o leva a fazer clique num e-mail

CallToAction_emailMarketing_850

A chave para que uma campanha de e-mail marketing massiva tenha sucesso é garantir que o maior número possível de utilizadores cliquem numa hiperligação e se tornem clientes. Mas, para que isto aconteça, é necessário que todos os e-mails estejam adequadamente configurados, de modo a que se torne atrativa para os utilizadores a ideia de aceder a uma determinada página de Internet.

Um call to action (CTA) ou chamada de atenção é um botão, palavra ou frase colocados num ponto estratégico da nossa newsletter. A intenção é captar a atenção do cliente ou de um cliente potencial e transformá-lo num cliente final. À semelhança de uma circular, pode encontrá-lo num formulário de página de destino ou landing page.

No momento de elaborar uma campanha de bulk e-mail ou, mais especificamente, de conceber uma newsletter, deve prestar especial atenção ao seu design e ao seu conteúdo (copy), assim como à sua localização, e garantir que cumpre o objetivo de comunicação que determine.

Mas ao que se deve a sua importância? Ao facto de ser o elo de ligação entre utilizador e marca. A sua eficácia depende de ter a mensagem bem dirigida (segmentação) e do seu conhecimento do seu público-alvo e, sobretudo, da sua buyer persona.

Tipos de call to action para bulk e-mailde acordo com o seu tipo de buyer persona

Antes de começar a falar de buyer personas, é importante saber a grande diferença entre esse conceito e o público-alvo.

O público-alvo ou target é o grupo de pessoas a quem dirigimos todos os nossos esforços de marketing, são as pessoas que podem comprar ou influenciar a compra dos nossos serviços e/ou produtos.

O termo “buyer persona“, com origem no inbound marketing, refere-se a um perfil fictício de clientes ideais.

Clientes tipo, perfil que se restringe à identificação de necessidades. Mas porquê fazer isto? Criar um perfil de possíveis compradores permite-nos alicerçar melhor as nossas campanhas de bulk e-mail e elaborar mensagens mais focalizadas. 

Quando estiver a elaborar as suas campanhas de bulk e-mail, faça-o em função dos gostos e necessidades destes arquétipos e, como é evidente, o primeiro passo é defini-los muito bem. Para tal, deve ter como base um estudo pormenorizado do seu público-alvo. 

1) Visitante registado (lead)

Um lead é uma pessoa que lhe forneceu os seus dados voluntariamente através do formulário de inscrição (landing page). Estes dados passarão a integrar uma base de dados. Neste ponto, é importante certificar-nos de que as nossas listas de contactos são double opt-in.

Este lead já teve um primeiro contacto com a sua marca, já o conhece. Agora, deve oferecer-lhe conteúdos que o incitem a participar na sua comunidade. A mensagem deve ser clara, deve falar-lhe sobre o seu produto e os seus benefícios e conter uma ou duas chamadas à ação que incitem ao clique.

lead-bulk-email

2) Clientes 

Dizem que a experiência do cliente termina quando este nos recomenda ou não; só nesse momento sabemos sem sombra de dúvidas de pretende ter um compromisso a longo prazo com a nossa marca. Uma pessoa que tenha experimentado o seu produto espera sempre mais de si. O call to action para uma newsletter dirigida a um cliente deve ter um excelente copy. O design e o conteúdo deve andar de mãos dadas.

Escusado será dizer que o tom e o conteúdo do seu boletim deve estar alinhado com o objetivo de comunicação que se tiver proposto: comercial ou tipo engagement. Para uma newsletter ser eficaz, é preciso que conheça o historial do seu cliente e que elabore ofertas centradas nele.

cliente-bulk-email

Existem muitos tipos de buyer personas. O grande trabalho de uma empresa, seja uma pequena ou média empresa ou uma empresa de grandes dimensões, é identificá-los e elaborar estratégias de comunicação de acordo com as tipologias. Para campanhas de bulk e-mail, pensar no arquétipo de um lead e cliente pode ajudá-lo a estreitar muito mais o enfoque das suas mensagens e assim marcar a diferença.


Cindy Chávez
Content Manager Mailify

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
Assim cozinharia Tarantino um prato de esparguete com almôndegas

Um vídeo que mostra como se prepara uma receita de culinária não costuma dar muito espaço à criatividade. Um plano...

Cerrar