Gamificação: uma nova aplicação de um conceito antigo

Spielplan

Muitos de nós começamos a ouvir com cada vez mais frequência o termo “gamificação”, mas o que é ao certo? A palavra vem do termo anglo-saxónico “gamification” e poderia também traduzir-se como “tornar lúdico”. Mas isso também não é muito esclarecedor. A gamificação consiste em aplicar mecânicas dos jogos em contextos não lúdicos. Por exemplo, quando fazemos o check-in num estabelecimento e nos dão uma moeda virtual permutável.

Por que se faz isto? A gamificação tem como principal missão influenciar comportamentos e motivar os usuários a realizar uma ação ou uma tarefa. Continuando com o mesmo exemplo, ao nos dar uma moeda virtual permutável por um desconto, o estabelecimento nos está motivando a fazer o check-in sempre que lá formos. É algo que, de outro modo, provavelmente não faríamos. Assim, estão também nos fidelizando; oferecem um desconto quando fazemos o check-in para que voltemos. Outro exemplo poderia ser as barras de progressão de tarefas, ou preenchimento de perfis; se você vir que outros usuários obtêm benefícios ao completar o perfil (visibilidade, melhor posicionamento num ranking…), isso funciona como motivação para que você complete também o seu perfil.

Em conclusão, o objetivo para o qual se utiliza a gamificação é atrair e reter clientes (potenciais compradores, audiências, trabalhadores… depende do seu tipo de público). Por isso, tal como acontece nos jogos, para motivar o interesse, é importante determinar o nível de dificuldade, de acordo com o público-alvo a que está dirigido, para que “o jogo” (neste caso o contexto não lúdico gamificado) não seja entediante nem frustrante, o que pode levar os nossos jogadores a desistir. Além de tudo isto, a gamificação é uma grande fonte de informação sobre os seus usuários.

Portanto, como pudemos ver, a gamificação não é nem publicidade em jogos (in-game advertising), nem jogos que são criados para promover uma marca (advergaming).

Por último, é importante que a gamificação esteja alinhada com a estratégia de marketing e que também esteja de acordo com a cultura da organização, para que não acabe sendo uma estratégia inconsistente e portanto ineficaz ou pior, que seja contraproducente.

Tenho para você uma infografia para que possa, só com uma olhada, compreender os conceitos chave da gamificação.

Patricia Navas-Parejo
Prisa Digital

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
A camiseta do futuro

O mundo da moda já está totalmente rendido aos encantos da revolução digital. Você sabia que existe uma camiseta inteligente...

Cerrar