5 conselhos para fazer mailing de carne e osso

Businessman drawing E-mails concept

Imersos na era digital, adquirimos uma série de comportamentos que, há uma década, nem sequer imaginávamos. Encomendar refeições ao domicílio, candidatar-nos a um emprego, marcar consulta para o médico, ver filmes, fazer compras… as ações mais quotidianas da vivência humana adquiriram há muito tempo a forma de apps em todos os dispositivos móveis que surgiram nos últimos anos: tablets, telemóveis inteligentes, televisões digitais… Fazer mailing transformou-se igualmente noutra evolução da comunicação tradicional entre a empresa e o cliente. O que antigamente era uma comunicação direta clássica em que o êxito se baseava no treino competente do tagarela de turno amadureceu ao ponto de nos permitir enviar campanhas de e-mail marketing aos nossos assinantes através do correio eletrónico.

É um fator positivo e facilita-nos bastante a vida mas, curiosamente, a vida é uma qualidade que falta às apps e às máquinas. Sensibilizar a sua newsletter é fundamental para melhorar a relação com os seus contactos, que estão rodeados de estímulos sem alma e que agradecem demonstrações de afeto de vez em quando. Não é apenas necessário um design atrativo ou um assunto otimizado para incitar à abertura do e-mail, até porque pode fazer isso tudo com uma boa aplicação de e-mail marketing; deve também incluir uma parte da sua personalidade na newsletter que vai enviar de modo a humanizá-la. Siga estes conselhos para que a sua próxima campanha tenha um efeito real sobre o seu público.

1.- Dividir para conquistar. Aposte na segmentação

Parece óbvio, mas ninguém gosta de ser visto como uma pessoa igual a um milhão de outras. Todos gostamos de nos sentir “especiais” em certa medida e apesar de, no fundo, sabermos que uma campanha de mailing não foi feita a pensar em nós, temos de acreditar o máximo possível que sim. Uma boa maneira de começar a melhorar a segmentação é perguntar-nos o seguinte: o que querem os meus contactos? Nem toda a gente procura o mesmo, pelo que deve despender algum tempo para conhecer melhor as pessoas que aceitaram receber as suas comunicações, não acha? Reúna todos os dados que tiver dos seus clientes, através dos formulários de subscrição da sua newsletter ou, à falta deles, experimente fazer uma promoção ou um concurso em que tenham de incluir alguns dados básicos (nome, apelido, área geográfica, sexo, hábitos…), mas olhando mais além: através da análise de sites, pode saber por onde andam os contactos, quanto tempo passam na sua página, em que parte da sua newsletter clicam mais vezes… Tudo o que possa ajudá-lo a segmentar a sua base de dados em pequenos grupos e assim enviar-lhes informação que realmente lhes interesse, que valorizem e que abram para saber mais. Vá por mim, obtemos mais aberturas enviando algo com valor a poucos interessados do que um conteúdo pobre a muitos indiferentes.

2.- Formalidades e maneiras

Tudo depende do setor de atividade de cada negócio mas, no geral, o melhor é tratar os nossos contactos informalmente. Já suportamos formalidade que chegue ao longo do dia, pelo que se agradece, de vez em quando, um toque de proximidade virtual que fomente a confiança no nosso negócio através da sua newsletter. A linguagem formal pode criar barreiras a um determinado espetro dos seus clientes: os jovens. Há muitos fatores a ter em conta, mas pode-se dizer tudo na vida com boas maneiras sem cair na linguagem do século XV. Adapte-se aos tempos modernos e aposte num contacto linguístico que atraia os seus clientes. Obviamente, sempre com moderação, até porque não está a escrever no Whatsapp a um amigo e os extremos nunca são positivos.

 3.- Cumprimentar é coisa de pessoas educadas que sabem fazer um mailing eficaz

A típica mensagem de “informação, cliente de x” é um fracasso total. Quem é que me escreve? O robô de serviço? Ninguém o ensinou a cumprimentar as pessoas? Apesar de se tratar de uma comunicação virtual, toda a gente sabe que temos de começar com uma saudação, dando os bons dias ou as boas tardes, conforme a hora do envio. Devemos complementar isso com um tom adequado, que nos aproxime dos nossos subscritores mas que não gere desconfiança. Por exemplo, no setor da saúde ou no setor financeiro, às vezes, as brincadeiras não são bem-vindas, mas podemos sempre assumir um tom amigável, mais informal, que não só personalizará a mensagem como também encorajará o seu cliente a conhecer melhor a sua página.

4.- Crie canais de comunicação, tire proveito das redes sociais

Já que estamos na era digital, não podemos deixar de tirar proveito disso. As redes sociais são o melhor aliado que podemos ter, se bem que, na verdade, também podem ser o nosso maior inimigo, caso não cativemos os nossos destinatários. Mas pensando no aspeto positivo, o facto de incluirmos ícones para partilha nas redes sociais facilita a interação e o feedback. Temos de abrir portas e janelas para que os nossos clientes partilhem o seu ponto de vista connosco e que também nos façam chegar a sua opinião. Neste sentido, é importante colocar à disposição do usuário um endereço de correio eletrónico identificável para dúvidas ou questões, seja um “info@” ou um “o seu nome@”. Esqueça o famoso noreply@, porque isso cria um clima de comunicação unidirecional que emudecerá os seus contactos.

5.- A assinatura é o reflexo da personalidade

Quantas vezes já ouvimos falar sobre isto! Se rodeamos a nossa assinatura, somos mais perseverantes; se não utilizamos letras, somos muito criativos; se utilizamos pontos, temos tendência a ser obstinados… Enfim, diz-se que a nossa assinatura mostra a nossa personalidade e não poderia ser diferente no e-mail marketing. Temos de assinar a nossa comunicação, sempre e sem exceção, e deixar claro ao destinatário quem é o remetente. Lembre-se que recebemos muitos e-mails ao longo do dia, já dá trabalho abrir um, quanto mais ficarmos a tentar adivinhar quem o mandou. Utilize um nome verdadeiro, o que terá um efeito mais positivo do que assinar “a equipa de X”. E se quer tornar-se o amigo mais chegado que o seu subscritor poderia encontrar, experimente acrescentar uma foto, o que lhe dará um toque humano que nenhuma máquina poderá bater.

Agora que já sabe como fazer mailing competente e que ainda por cima não pareça enviado por um androide, tem mais possibilidades de aumentar a taxa de abertura das suas campanhas e também de fortalecer um vínculo com as outras pessoas que leiam as suas comunicações. Manter essa ligação é complicado mas, com estes conselhos, em conjugação com outras funcionalidades do e-mail marketing, conseguirá pôr o coração das suas newsletters a bater.


Carlos Cuéllar
Mailify España

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
RetinaCiberseguridad_850
Alerta de Cibersegurança, com EL PAÍS RETINA

Desculpe-nos, mas este texto esta apenas disponível em Español.

Cerrar