Loqueleo adapta a literatura infantil e juvenil aos novos tempos

loqueleo

Loqueleo chegou a Espanha ontem à noite. E fê-lo num palco, o lugar onde ganharam vida muitas das histórias que a Santillana tem vindo a aproximar do público infantil e juvenil há já 35 anos. Rosa Junquera, diretora de Comunicação da editora, teve a responsabilidade de apresentar um espetáculo transmedia em que a música, as palavras, as imagens e a imaginação envolveram o nascimento de um projeto que se propõe a adaptar-se a uma nova maneira de ler.

Cerca de 700 pessoas, entre leitores, autores, professores, ilustradores, bibliotecários e livreiros, marcaram presença nos Teatros do Canal de Madrid para receber o lançamento da Loqueleo, uma marca à qual a Santillana dedicou dois anos de trabalho para identificar os melhores temas, formatos, designs e ferramentas e assim criar uma comunidade de leitores e um diálogo social em redor da literatura. “Os tempos mudaram e os leitores de agora contam com novas formas de comunicarem entre eles, como as redes sociais, pelo que queremos ajudar os professores a dinamizar a leitura nas aulas, sempre com base no nosso compromisso com a qualidade literária, a reflexão e a criação de espírito crítico”, afirmou Junquera.

Com este objetivo, o lançamento de Loqueleo não se fica pela publicação de 250 títulos clássicos e contemporâneos, materializando também a sua aposta nos novos tempos com uma forte presença nas redes sociais, através do perfil soyloqueleo no Facebook, no Twitter, no Instagram e no YouTube. Mas, além disso, neste novo fôlego do seu catálogo infantil e juvenil, a Santillana tem previstos dois novos tipos de iniciativas:

  • Projetos de literatura e leitura inclusiva para aproximar os livros de crianças com problemas de compreensão, algo que atualmente afeta até 30% dos alunos. Entre outros recursos, a Loqueleo disporá de uma plataforma que vai permitir aos docentes avaliar as capacidades de leitura dos seus alunos e propor-lhes atividades de reforço e melhoria.
  • Projetos de literatura transmedia que criem uma ligação com as novas formas de consumir conteúdos culturais. “São histórias que nascem no livro, mas que logo dão origem a outras derivadas em vários formatos, nos quais o leitor é uma parte ativa, e que enriquecem a trama inicial”, afirma Junquera. O primeiro título transmedia com a chancela da Loqueleo será “Los nombres del fuego”, um romance juvenil de Fernando J. López, que verá a luz a partir do próximo mês de março.

Durante a sua intervenção, a diretora de Comunicação da Santillana realçou que a leitura nos torna mais felizes, que nos ajuda a enfrentar melhor a vida, que reduz o stress, aumenta a autoconfiança e fomenta a empatia. “Portanto, se formos capazes de criar leitores desde uma tenra idade, estaremos a dar-lhes ferramentas fabulosas para o seu desenvolvimento emocional.” Neste sentido, a apresentação da Loqueleo quis contar com as experiências vividas na infância pelos escritores Jordi Sierra i Fabra, Joan Manuel Gisbert e Vanesa Pérez-Sauquillo, que foram entrevistados em palco por Carles Francino. O jornalista da Cadena SER aceitou colaborar com a companhia de teatro Impromadrid, que representou vários números com a colaboração do público, tudo bem acompanhado pela música de El Show de Dodó e as ilustrações em direto do artista de graffiti Suso33. Todo um trabalho conjunto que apoiou a chegada a Espanha da Loqueleo após o seu lançamento no passado mês de novembro na Feira Internacional do Livro de Guadalajara (México). O novo projeto de literatura infantil e juvenil da Santillana também já está presente na Colômbia, na Argentina, no Chile e no Uruguai. Além disso, na Catalunha, na Comunidade Valenciana e nas Ilhas Baleares, encontra-se presente com o nome Jollibre.

Rosa Junquera partilhou com todos os presentes que o compromisso “honesto e verdadeiro” que a Santillana tem com a leitura estará bem patente no “lema” que encerra todos e cada um dos livros da Loqueleo: “Aqui acaba este livro escrito, ilustrado, concebido, editado e impresso por pessoas que amam os livros. Aqui acaba este livro que tu leste, o livro que já és.”

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
journalism_lab
O que significa o jornalismo de imersão?

O aparecimento da realidade virtual e as filmagens em 360 graus poderão revolucionar para sempre o mundo do jornalismo. Há...

Cerrar