Os 14 erros mais comuns de uma start-up

Errores de una startup
Visto 7.197 veces

Para alcançar o êxito com uma start-up, não basta ter uma ideia brilhante. De fato, há empreendedores com grandes ideias que fracassam no momento de colocá-las em prática ou que não atingem os objetivos a que se propõem no início do seu projeto. O que falha nesses casos? A Startup Academy resumiu em 14 pontos os erros empresariais mais comuns de uma start-up.

  1. Pensar que a ideia vale dinheiro. Não podemos confundir uma boa ideia com uma oportunidade. Ter uma boa ideia é muito importante, mas o fato de ninguém a ter tido antes não significa que haja um mercado disposto a comprá-la. Por outras palavras, uma ideia não é um negócio. Um negócio se concretiza quando se sabe como fazê-lo e há muitas boas ideias que, por falta de perspetiva, não se converteram em bons negócios.
  1. Não prestar atenção ao que não funcionou. Nem todas as ideias funcionam. Ver os erros que outros cometeram pode poupar muito tempo e dinheiro; por isso, é muito útil conhecer os seus êxitos e fracassos, apesar de os últimos não costumarem ser tornados públicos. Há que estudar a evolução dos negócios do setor ou daqueles que possam ser a concorrência.
  1. Não manter as coisas simples. É muito importante manter as ideias claras e saber como adaptá-las conforme o projeto vai avançando. De nada serve ter muitas ideias que vão “prejudicando” os objetivos finais. É normal que o público, o produto, o modelo de negócio, etc. se modifiquem e, por isso, é fácil perder o rumo e esquecer os objetivos iniciais.
  1. Não escolher bem os companheiros de viagem. No caminho do empreendedorismo, é vital se juntar a pessoas competentes e profissionais, com vontade de encetar um caminho próspero rumo ao sucesso, mas conscientes das dificuldades do terreno. É fundamental estar rodeado de pessoas com experiência, que saibam idiomas, que sejam flexíveis e transparentes e, se for possível, com sentido de humor.
  1. Não saber comunicar bem o projeto. Para triunfar, é preciso comunicar. Mesmo que tenhamos a melhor ideia do mundo, se não soubermos explicá-la aos investidores ou potenciais clientes, ela não nos servirá de nada. Não é uma questão de falar bem, mas de “atrair” bem.
  1. Pensar que se é todo-poderoso. É contraproducente ter a ideia de que uma pessoa consegue fazer tudo e que não precisa de ninguém. Muito pelo contrário, há que manter uma disciplina e uma rotina para levar o negócio a bom porto, assim como uma boa equipe de profissionais de confiança, que ajudem a ver outras perspetivas do negócio e erros comuns que se possa cometer. A humildade, neste caso, é fundamental.
  1. Não se formar. Hoje em dia, alegar que não há meios para ter formação é uma falácia. Já não basta apenas se formar, é preciso também conhecer o mercado e pesquisá-lo. Para tal, é preciso conhecer ferramentas e metodologias, assim como saber quando e onde introduzi-las, praticando e aplicando tudo ao contexto prático. Uma simulação de lançamento de projeto é vital para evitar erros.
  1. Esperar demasiado tempo para lançar a start-up. Muitos esperam até ao último momento para lançar o seu projeto. Elevam o seu MVP (produto viável mínimo, na sua sigla em inglês) a uma categoria demasiado alta, perdendo muitos usuários / clientes e dinheiro nesse tempo. Por vezes, é muito melhor lançar o projeto e ir adequando o negócio às necessidades do cliente.
  1. Não investir no projeto e esperar que os outros o façam. Não se pode esperar que alguém acredite num projeto no qual nem o seu criador investe. Se não tem dinheiro para investir, trabalhe gratuitamente na sua ideia. Não há nada mais convincente para os investidores do que uma pessoa que trabalha no seu projeto mesmo sem estar ganhando nada com ele.
  1. Transformar o plano de negócio num mau aliado. Às vezes, investe-se demasiado tempo a elaborar o plano de negócio quando talvez fosse melhor criar um bom MVP e testar o produto com os clientes.
  1. Não perceber de tecnologia. O mundo tecnológico avança cada vez mais rapidamente e é importante saber as novidades do universo digital, especialmente aquelas que possam ajudar ou afetar o projeto. Se não as conhecermos, podemos estar empregando métodos e programas obsoletos ou que não nos ajudem a atingir a nossa meta.
  1. Não ter conhecimentos financeiros. As start-up são um negócio e é preciso saber o que vamos enfrentar, assim como ter um bom plano financeiro que defina do que vamos viver. É muito importante ter dinheiro suficiente para pagar as contas perante qualquer desafio que se apresente. Daí ser necessário investimento, planificação e não assumir riscos que não se possa controlar.
  1. Não fazer uma boa campanha de marketing. É vital conhecer os canais adequados e ter um bom plano de marketing para se promover através dos meios mais eficazes. Por isso, há que estar a par do que existe e do que nos pode ajudar.
  1. Crescer demasiado depressa / Não saber como crescer. Tão mau é um como o outro. Crescer demasiado depressa pode fazer com que a nossa start-up não passe de uma moda com os seus 15 minutos de fama. Não saber como crescer só fará com que se dê tiros no escuro. É preciso saber como desenvolver a start-up a todos os níveis para fazer dela um verdadeiro negócio.

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
young plant, seedling, sprout, growing
O que é uma startup?

Trata-se de um dos termos que mais manchetes estão arrecadando no mundo empresarial e digital, mas saberemos ao certo o...

Cerrar