#maisportugal: da ‘hashtag’ ao programa de televisão

twittermaisfutebol

O jornalismo já não vive sem as redes sociais e o desafio reside na forma como os meios de comunicação social convivem com essa nova realidade. Grande parte da informação chega aos consumidores via Facebook ou Twitter e esse é o palco ideal para o comentário, a interação e a partilha de opiniões.

A Copa do Brasil está a revelar-se uma excelente oportunidade para testar até que ponto evoluiu a forma como as pessoas lidam com os grandes eventos, transformando as redes sociais nos verdadeiros estádios. Neste aspeto, o Twitter tem sido o campeão, não só pelo aumento de utilizadores, mas principalmente porque encetou uma estratégia objetiva de envolvimento da comunidade em redor do campeonato do mundo, com hashtags dedicadas a cada seleção e acompanhamento em tempo real dos jogos.

maisportugalO Maisfutebol  acompanhou este fenómeno e antecipou-se ao impacto do Mundial, preparando a cobertura do evento com uma abordagem específica das redes sociais, nomeadamente através do Twitter, desde logo com a preparação da melhor hashtag possível para acompanhar a partilha de informação durante o torneio.

O resultado foi #maisportugal, que agrega o «mais» da nossa marca e o «Portugal» alusivo à Seleção Nacional do país. Considerámos o pendor positivo da aposta, como se transportasse o apelo a uma boa prestação da equipa no campeonato (o que infelizmente não viria a acontecer, com a eliminação na fase de grupos). O sucesso foi imediato, com impacto no número de seguidores da conta oficial do Maisfutebol no Twitter. Desde que foi encetada esta estratégia, nos primeiros dias de junho, a conta @maisfutebol_iol cresceu de 27800 seguidores para 81600.

A mesma hashtag passou a ser utilizada durante a emissão do programa de televisão «Maisfutebol», da TVI24, com interação constante com os telespetadores, mediada pela apresentadora Cláudia Lopes. Mas, ainda de forma mais relevante, #maisportugal transformou-se num espaço de informação próprio no canal de notícias da MediaCapital, dedicado aos jogos da Seleção Nacional no campeonato do mundo, com reportagens, diretos e opinião.

A crescente participação do público nas iniciativas criadas nas redes sociais, nomeadamente no twitter, onde as restrições de privacidade não são tão grandes como no Facebook, torna possível uma maior interação com os jornalistas e a própria partilha de informação passa a ser mais universal. Os conteúdos deixam de estar numa só plataforma e circulam livremente, passando do online para o «on air» e vice-versa, sem barreiras e constrangimentos, numa simbiose constante entre jornalistas e público.

Nos dias que correm não faz sentido um jornalista não ter presença consistente nas redes sociais, mas quem não abraçou essa nova realidade ainda está a tempo de apanhar o comboio. No Maisfutebol  a aposta é para continuar e há muito mais hashtags de sucesso para criar.

Filipe Caetano

Editor tvi24.pt

Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
warhol_850
A arte digital… ou o digital na arte: um pouco de história

“Para o artista, o digital é o maior desafio, a mudança mais empolgante na longa história da síntese entre a...

Cerrar