Vídeo em HTML5

videoHTML5_850

Uma das novidades mais difundidas do HTML5 é a capacidade de reproduzir vídeos dentro do navegador sem a necessidade de utilizar plugins como o flash, mediante o uso da etiqueta .

Ainda que a especificação seja bastante simples, neste momento, a realidade é bem mais complexa, já que, apesar de a utilização da etiqueta ser igual em todos os navegadores, não existe um formato de vídeo padrão que seja suportado por todos eles.

Todos os formatos de vídeo (MOV, MP4, WMV, FLV, Ogg, MKV, AVI, etc.) são normalmente compostos por duas partes: uma que contém apenas o vídeo e outra que contém apenas o áudio. Cada uma delas está codificada de uma forma particular a que chamamos “codec” e é aí que reside a principal diferença entre um formato de vídeo e outro.

Atualmente, os três tipos de vídeo que estão na corrida para se tornarem o formato de referência na Internet são:

H.264 (mp4): Gerido pelo consórcio MPEG-LA, – que é constituído por 26 empresas, entre as quais se encontram a Apple e a Microsoft – tem uma licença de utilização gratuita até 2016 para os criadores de conteúdos ou sites de publicação como o Youtube e outra com uma taxa anual para os programas codificadores e / ou descodificadores que se aplica, por exemplo, aos navegadores que o integrem. Isto explica que alguns navegadores como o Opera ou o Firefox, cuja política consiste em basearem-se em tecnologias abertas e gratuitas, não o suportem.

Theora (ogg): Codec de vídeo gratuito desenvolvido pela Xiph como parte do formato de vídeo Ogg. A Xiph.Org é uma organização sem fins lucrativos que apoia o desenvolvimento de protocolos livres e abertos a todo o mundo, alheados aos interesses privados.

WebM (vp8): Foi o último a ser lançado e foi desenvolvido pelo Google com uma licença semelhante à BSD, o que facilita a adoção deste formato sem custos de licenças.

Ainda que, por enquanto, o Google apoie todos os formatos (sendo o proprietário do Youtube, interessa-lhe que os utilizadores finais não tenham problemas para reproduzir os seus vídeos a partir de qualquer navegador), não quer depender de um único formato como o H.264, que não controla e que, possivelmente, acarrete custos muito elevados para a sua utilização a partir de 2016.

O Google adquiriu o formato VP8 em vez de apoiar o codec do Theora, porque está à altura da qualidade oferecida pelo H.264.

Formatos de vídeo suportados pelos vários navegadores para PC:

Navegador WebM/VP8 Ogg Theora MPEG-4 H.264
Firefox Sim Sim Não
Safari Não Não Sim
Opera Sim Sim Não
Chrome Sim Sim Sim
IE9 Parcial (precisa do componente WebM MF) Não Sim

 

Qualquer um dos distribuidores teria portanto de publicar pelo menos em dois formatos: o MP4 H.264, obrigatoriamente, e outro à escolha entre o Ogg Theora ou o WebM (por exemplo, atualmente, o Youtube converte todos os seus vídeos para mp4 e WebM), o que se reflete diretamente em custos de armazenamento e conversão que nem todos estão dispostos a comportar.

Para resolver esta questão, utiliza-se o HTML5 com mp4/h264, que dá suporte aos dispositivos móveis e a vários navegadores para PC e, para o resto, utiliza-se um leitor em Flash.

Se, no âmbito dos computadores pessoais, o vencedor ainda não está decidido, já nas tecnologias móveis é possível dizer que o formato MP4, neste momento, está a vencer a batalha, apesar da intenção de alguns fabricantes como a AMD, Broadcom, Qualtom ou Texas de suportar o formato WebM a nível de hardware.

Suporte ao formato de vídeo em plataformas móveis:

Plataforma WebM Ogg Theora MPEG-4 H.264
IOS NÃO NÃO SIM
Android Parcialmente (a partir da versão 2.3.3 e apenas mediante software) NÃO SIM
Outros (como o Blackberry) NÃO NÃO SIM

Eugenio Huergo
PRISA Digital


Deixe uma resposta

MENU
Leer entrada anterior
Você acha que você é diferente?

No mundo há 7,000 milhões de pessoas com uma série de características que nos fazem ser iguais, mas, você acha que...

Cerrar