Banda larga para todos no Brasil

Meses antes de deixar a presidência do Brasil, Lula Da Silva impulsionou um projeto ambicioso para garantir que todos os cidadãos deste gigante sul-americano tivessem acesso à banda larga, independentemente dos seus rendimentos ou local de residência.

O Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) já começou a dar frutos. Conforme assegurou há umas semanas o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, cerca de 150 cidades usufruirão deste serviço antes do final do ano.

Os utilizadores terão de pagar 35 reais por mês (menos de 15 euros) por uma ligação de 1 megabyte.

Intervenientes públicos e privados

Para pôr em marcha o PNBL, o governo brasileiro decidiu relançar a atividade da antiga companhia estatal Telebras, que está agora encarregada de implementar a rede de comunicações da administração pública federal e que suportará a ligação de banda larga das universidades, escolas, centros de investigação, hospitais e outros locais de interesse público.

O antigo monopólio telefónico brasileiro leva também o serviço de Internet às zonas que não estão abrangidas pelos operadores privados que participam no projeto: Oi, Telefónica, Sercomtel e CTBC.

Infográfico: O crescimento de internautas no Brasil

Objetivos concretos

Segundo o Ministério das Comunicações brasileiro, o PNBL tem um orçamento que ronda os 100 milhões de euros e rege-se pelos seguintes objetivos:

  • Acelerar a entrada da população na sociedade da informação.
  • Promover uma maior difusão das aplicações de governo eletrónico e facilitar a utilização dos serviços do estado por parte dos cidadãos.
  • Contribuir para a evolução das redes de telecomunicações do país rumo a novos paradigmas de tecnologia e arquitetura baseados no protocolo IP.
  • Contribuir para o desenvolvimento industrial e tecnológico do país, em particular no setor das tecnologias da informação e da comunicação (TIC).
  • Aumentar a competitividade das empresas brasileiras, sobretudo as do setor das TIC, assim como as microempresas e as pequenas e médias empresas dos outros setores económicos.
  • Contribuir para o aumento do emprego no país.
  • Contribuir para o crescimento do PIB brasileiro.

Horizonte 2014

O governo brasileiro espera chegar aos 30 milhões de acessos de banda larga fixa, tanto em zonas urbanas como em zonas rurais, em 2014.

Nesse mesmo ano, segundo as previsões do executivo, o número de acessos móveis chegará aos 60 milhões, ao passo que o acesso fixo coletivo (escolas, repartições públicas, bibliotecas e o resto dos edifícios públicos) será universal.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

MENU
Leer entrada anterior
O negócio da música sobe à nuvem

Uma das últimas intervenções de Steve Jobs foi para apresentar a maior aposta da Apple no campo do cloud computing...

Cerrar