Captación, desarrollo y retención del talento en Microsoft

Um dia, Raquel Durá abriu a sua conta no LinkedIn e deu de caras com um alerta que a encorajava a se inscrever num processo de seleção para um cargo na Microsoft. Três semanas depois, a jovem ocupou o seu atual posto como responsável de Relações Públicas do fabricante, depois de passar com êxito seis entrevistas e uma ação de grupo em que competiu diretamente com outros aspirantes a esse cargo. Sim, ao estilo do filme “El Método”.

Esse primeiro contacto como Raquel através do LinkedIn não foi um caso extraordinário. Nem um caso raro. De facto, Blanca Gómez, diretora de Recursos Humanos da Microsoft em Espanha, afirma que 99% do recrutamento de pessoal da companhia é realizado através desta via. “No meu caso, também foi assim”, afirma Gómez.

Mas o que a seleção de Raquel teve de especial foi o facto de a sua candidatura se englobar dentro do programa MACH (Microsoft Academy for University Hires – Academia de Contratações Universitárias da Microsoft), através do qual se contratam para determinadas funções jovens recém-licenciados ou com uma experiência laboral de cerca de um ano. “Todos os que foram recrutados através deste programa formam, a nível mundial, a comunidade MACH. Somos funcionários iguais aos outros mas, durante o nosso primeiro ano e meio, contamos com um programa especial no qual beneficiamos de formação, de viagens para partilhar conhecimentos com colegas de outros países e sessões de trabalho à medida”, comenta a própria Raquel.

O objetivo é que estes jovens potenciem as suas capacidades e acelerem o seu desenvolvimento profissional. E, apesar de estarem todos em departamentos diferentes, realizam atividades conjuntas a nível local, de modo a terem uma perspetiva transversal do negócio, como pequenos-almoços mensais com os altos executivos da companhia para resolver dúvidas.

Para além do MACH, a Microsoft conta com outras iniciativas para atrair jovens talentos:

  • Imagine Cup. Competição mundial entre universitários que participam com projetos relacionados com as novas tecnologias. Os vencedores têm a oportunidade de apresentar a sua proposta perante milhares de funcionários da Microsoft na reunião mais importante da companhia a nível global, que se celebra anualmente em Atlanta.
  • Microsoft Student Partner. O fabricante realiza sessões nas universidades para recrutar estudantes que ajudem a difundir as suas tecnologias junto dos seus companheiros. Como contrapartida, a Microsoft oferece formação a estes colaboradores, que são também convidados a realizar apresentações em diversos eventos e recebem informação em primeira mão.
  • BizSpark. Programa de apoio a start-ups. Os empreendedores recebem gratuitamente uma ampla oferta de tecnologia da Microsoft, acesso a conhecimentos técnicos e de negócio e a possibilidade de aumentar a sua visibilidade no mercado. Posteriormente, muitas destas start-ups acabam por se tornar parceiras da Microsoft.

Mas uma coisa é atrair talento. Outra muito diferente é reter esse talento ou enriquecer o que já existe dentro da companhia. Para estes dois casos, o fabricante dispõe de duas ferramentas que ajudam a potenciar o desenvolvimento profissional dos seus funcionários:

  • Shadowing. Se utiliza para otimizar uma determinada competência de um profissional ou então para preparar convenientemente um funcionário que se queira promover. Para tal, durante um período máximo de um mês, estes funcionários se tornam a sombra de um executivo da organização. “Habitualmente, escolhemos para fazer de sombra os grandes potenciais da companhia, ou seja, perfis com níveis de desempenho muito elevados que tenham igualmente muita vontade de crescer. Do mesmo modo, a nível da direção, é preciso existir um consenso em relação ao grande potencial desses funcionários”, explica Blanca Gómez.
  • Mentoring. Quase todos os funcionários têm um género de mentor e a maioria tem mesmo mais de um. Além disso, cada membro dos quadros diretivos conta, a todo o momento, com um mínimo de três mentorizados. Assim sendo, não é estranho que a diretora de Recursos Humanos do fabricante em Espanha afirme que este é “o programa de desenvolvimento que está mais no ADN da Microsoft”.

De todos os modos, Blanca Gómez sublinha que cada funcionário é “dono e responsável máximo pela sua própria carreira e desenvolvimento”. Esse é um dos principais pilares da filosofia dos Recursos Humanos da companhia e do seu sistema de trabalho por resultados. Todos os profissionais sabem muito bem o que têm de fazer, uma vez que, no início de cada ano fiscal, em julho, se investe muito tempo a estabelecer os compromissos entre cada funcionário e a empresa. Uma vez feito esse acordo, existe muita flexibilidade em relação aos métodos e aos horários de trabalho, desde que os objetivos acordados estejam sendo cumpridos.

No dia-a-dia, a relação contínua entre os profissionais é um elemento crucial para o bom funcionamento da companhia. E, com o propósito de facilitar o contacto entre os membros do quadro, todos têm acesso às seguintes ferramentas:

Yammer. A rede social comprada pela Microsoft há um ano agiliza a comunicação entre os 97.000 funcionários do grupo. Além disso, é utilizada para encontrar novas ideias entre os membros dessa comunidade, com o objetivo de resolver rapidamente desafios concretos de projetos em execução e também para organizar atividades e partilhar interesses fora do contexto profissional.

Who. É o “quem é quem” do grupo, uma rede interna com perfis especializados em que se especificam as áreas de trabalho de cada profissional, as suas especialidades e interesses.

The Garage. Plataforma de inovação aberta formada atualmente por cerca de 2300 funcionários. Os seus membros partilham ideias e, posteriormente, organizam feiras ou apresentações oficiais em que dão a conhecer as melhores, que ocasionalmente se materializam em projetos concretos.

Learning Circles. Reuniões trimestrais entre profissionais que tenham cargos semelhantes em diferentes filiais com dimensões semelhantes e num estádio de desenvolvimento parecido. Nestes encontros, se partilham situações e problemáticas concretas para que os funcionários se inspirem mutuamente e solucionem desafios de forma conjunta.

 

José Ángel Plaza

Transformação PRISA

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

MENU
Leer entrada anterior
O marcador de ‘Likes’

Digitalizar, digitalizar, é o lema dos tempos em que vivemos. Até que, de repente, alguém tenta fazer as coisas ao...

Cerrar