O entretenimento é mais social e mais global

O modo de desfrutar dos conteúdos de entretenimento está em constante transformação desde que a Internet e o mundo digital começaram a ficar estreitamente ligados às nossas vidas. O acesso aos mesmos através de telas múltiplas ou em qualquer lugar forma um dos feitos mais revolucionários do modo de consumo atual. O mesmo se aplica à possibilidade de partilhá-lo através das redes sociais com quem quisermos e também à possibilidade de aceder a conteúdos oferecidos em outros pontos do mundo; a Rede quase não tem fronteiras. A Internet tornou-nos mais sociais e mais globais. É verdade que se trata de comportamentos já consumados na sociedade 2.0, mas já se começa a analisar as mudanças que se estão operando nesta nova ordem de tendências. Agora, o usuário exige uma experiência mais profunda e interativa com os conteúdos, e prefere partilhar com os outros as suas preferências de entretenimento a partilhar outras coisas mais pessoais da sua vida quotidiana. Toda esta corrente de tendências tem sido muito bem aproveitada pelas produtoras para criar uma ligação mais profunda com os seus consumidores e proporcionar-lhes experiências melhores.

Acompanhando estas correntes de comportamento e pelo sétimo ano consecutivo, a Edelman realizou o seu Estudo Global do Entretenimento (Global Entertainment Study), no qual revela e analisa todas estas alterações de comportamento em relação ao consumo de conteúdos audiovisuais na atualidade. O relatório foi realizado com dados recolhidos entre cerca de 8.500 usuários, dos 18 aos 54 anos, de oito países de todo o mundo: Brasil, China, Índia, Alemanha, Coreia, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

Na infografia que se segue, podemos ver as principais conclusões deste estudo significativo e também na apresentação que incluímos no final deste post. 

 

Entertainment Goes Global

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

MENU
Leer entrada anterior
Nem um celular sem Facebook

Entre outros efeitos, o boom dos smartphones multiplicou, ainda mais, o volume de interações diárias nas redes sociais. Não é...

Cerrar