Os perigos de viver encurvado

Vamos refletir um pouco. Quantas horas dedicamos ao celular? De certeza que, se somarmos todo o tempo que passamos olhando para a tela, no final do dia, seria um monte. O mal não está apenas no que deixamos de fazer enquanto estamos prestando atenção ao celular, como deixar de comunicar ou de admirar as coisas belas que nos rodeiam – ou seja, quando praticamos o phubbing – mas também no fato de, por vezes, poder ser mesmo perigoso não estar a par dos perigos que nos rodeiam por não tirarmos os olhos do dispositivo.

Isto foi representado por um jovem estudante chinês chamado Li Chenglin através de uma animação intitulada “Bow Life”, algo que pode ser traduzido como “vida arqueada” ou “viver encurvado”, devido à postura que adquirimos se estivermos sempre a olhar para o smartphone e que o autor exagera para adicionar assim o seu toque particular de humor e ironia.

Com a sua curta, Chenglin quer transmitir uma mensagem de alerta aos usuários advertindo para os perigos deste vício, que em princípio pode parecer pouco alarmante, mas que cada vez mais podemos ver que se está tornando um problema grave para algumas pessoas.

Comments are closed.

MENU
Leer entrada anterior
O prosumer: protagonista do êxito do turismo colaborativo

O consumo colaborativo ou economia colaborativa é uma tendência em pleno auge. Diversos fatores, entre eles a evolução e generalização...

Cerrar