Um assistente de bolso

Sherpa_850

A interação entre homem e máquina tem começado a se desenvolver recentemente nos dispositivos móveis. uma das iniciativas de maior êxito é o sherpa, a aplicação que funciona como um assistente virtual para dispositivos android. é capaz de fazer quase tudo o que pedirmos, desde fazer publicações nas nossas redes sociais, comprar ingressos ou dar a previsão do tempo. o seu fundador, xabier uribe-etxebarria, vai nos explicar em que consiste fazer “sherping”.

As 10 respoestas de:

Xabier Uribe-Etxebarria – CEO e fundador de Sherpa

P- O vosso projeto parece excelente. Todo o mundo já pensou como seria bom ter um assistente pessoal para fazer tudo o que pedimos. O que é o Sherpa? Como surgiu a ideia? Ele faz realmente tudo o que pedimos?

R: O que é o Sherpa? Podemos dizer que o Sherpa é a “ajuda” de que todos precisamos. A grande maioria das operações que os usuários realizam com os seus dispositivos pode ser delegada ao Sherpa, pedindo que as execute e, assim, evitar navegar em várias janelas e perder tempo teclando. Ler emails, fazer publicações no Facebook ou no Twitter, organizar a sua agenda, ouvir música, mesmo que não esteja guardada no dispositivo, realizar buscas na Internet, saber a previsão do tempo, etc.

Não lhe sei dizer o momento exato em que a ideia surgiu, mas sei dizer como. Foi quando vi um vídeo da década de 80 – Knowledge Navigator – em que se via um homem “falando” com a sua máquina e pensei que aquilo era possível. Nós dispúnhamos de uma tecnologia que podia tornar aquilo realidade.

P- Vocês acabaram de lançar uma nova versão beta, o Sherpa 2.0. Que melhorias incluiu em relação à versão lançada em dezembro de 2012? Quando chega a versão definitiva? Que novidades vocês preveem incluir no futuro? O Sherpa vai também falar inglês ou chinês?

R: Esta nova versão tem muito mais potencial do que a versão apresentada em outubro, passando de uma aplicação divertida para algo muito mais útil para o usuário, com novas funcionalidades, uma nova interface mais prática e intuitiva, e um módulo de inteligência proativa que aprenderá com os hábitos de utilização do usuário.

Não nos colocámos um prazo concreto para a versão definitiva e a verdade é que não temos pressa. A relação entre humano e máquina através da língua natural mudará radicalmente a forma como interagimos com os dispositivos. Ainda só descobrimos menos de 0,01% do que o Sherpa poderá fazer e estamos muito satisfeitos mas, apesar de não poder revelar nada, posso dizer-lhe que teremos muitas novidades no futuro.

Quanto aos idiomas, o lançamento da versão em inglês está iminente e poderão vê-la nas próximas semanas. Também lançaremos versões noutros idiomas em breve, mas ainda não posso adiantar uma data.

P- Em comparação com a sua experiência anterior como veterano de negócios digitais, que dificuldades vocês encontraram no momento de criar o projeto Sherpa? Que conselhos dá a quem está começando agora no setor?

R: Encontramos sempre muitas dificuldades, mas eu costumo dizer que “o êxito ou o fracasso não dependem das circunstâncias, mas da nossa atitude perante elas”. Às vezes, quando me convidam para conferências, esquematizo visualmente essa ideia com uma fórmula que inventei há anos:

E(êxito)= T(talento)+ A(atitude)– C(circunstâncias)

P- Sabemos que você não gosta que o Sherpa seja comparado com o Siri, mas não deixam de ter uma filosofia semelhante. Quais são as diferenças fundamentais entre o Sherpa e outros produtos como o S-Voice, o Google Now ou o Siri propriamente dito?

R: Tanto o Sherpa como o Siri ou os outros produtos que você menciona são interfaces que facilitam a relação do usuário com o celular através da voz e da língua natural. Contudo, são muito distintos, a começar pelo facto de nós querermos que o Sherpa esteja ao alcance de praticamente qualquer pessoa que tenha um smartphone e, por isso, começámos com o Android por ser o sistema operativo mais utilizado. O Sherpa é grátis e está disponível no Google Play para a quase totalidade de dispositivos Android a partir da sua versão 2.2.

Que outras coisas nos distinguem? Também podemos pedir ao Sherpa que passe uma canção que não tenhamos descarregado para o celular. Que mais? Muitas coisas. Uma das que mais chamam a atenção é a capacidade transacional que não encontramos em mais nenhum assistente no mercado. Podemos comprar ingressos para concertos, passagens de avião e chegámos a um acordo com o PayPal que torna possível pedir ao Sherpa que faça uma transferência utilizando apenas a voz ;).

P- Graças à sua trajetória profissional, você se transformou num perito em combinar a tecnologia de processamento da linguagem e, além disso, o vosso slogan diz: “É o momento de falar”. Neste sentido, como se ensina um telefone a falar? O Sherpa tem um certo caráter humano?

R: Eu diria que tem muito de humano de muitos humanos. De facto, nesta nova versão, os Sherpas vão mudar conforme o dia, sendo ainda mais humanos.

O Sherpa tem o módulo informativo mais poderoso da sua categoria e você pode perguntar coisas como o resultado de uma partida de futebol, a previsão do tempo, etc., que ele vai “compreender”.

P- Uma das coisas que mais me chamou a atenção no vosso projeto é o facto de ter um caráter muito universal, desde a sua distribuição gratuita à possibilidade de ser instalado em versões mais primitivas do Android. Tudo isto faz com que seja possível chegar a muita gente. Qual é o vosso modelo de negócio?

R: Neste momento, não estou preocupado em monetizar o Sherpa. A prioridade é criar um grande produto, constituir uma base sólida de usuários que utilizem o Sherpa e a monetização só vem depois. O Twitter e o Facebook, por exemplo, não tiveram um modelo de negócio definido durante anos e, no entanto, ainda aqui estão. 

P- Gostaríamos que você nos contasse agora os seus segredos digitais pessoais. Qual foi a sua última compra online?

R: Na verdade, faço muitas compras online. A última foi um tablet.

P- E-book e / ou livro impresso?

R:Não leio romances, mas leio muitas revistas e muitos blogues, sempre tudo online.

P- Qual é a aplicação que você utiliza mais no seu smartphone ou no seu tablet? Recomenda alguma além do Sherpa?

R:Uso muito o WhatsApp.

P- Você é mais adepto do Twitter ou do Facebook? Qual é a sua opinião pessoal sobre as redes sociais? Consegue imaginar passar um dia sem elas?

R:Tenho conta nas duas redes e, pessoalmente, não sou muito proativo. Mas uso muito o Twitter para acompanhar temas e ver tendências.

http://sher.pa

Comments are closed.

MENU
Read previous post:
FacebookHome
Sweet’ Facebook Home

Sempre que Zuckerberg convoca os meios de comunicação para apresentar uma novidade, lembro-me daquela frase de Woody Allen no filme...

Close